Bons vinhos

É quase impossível falar da França e se esquecer dos majestosos vinhos franceses.

São os mais produzidos do mundo. E são consumidos sempre acompanhando uma refeição, principalmente com amigos e família.

Ao que tudo indica, os primeiros vinhedos foram feitos em Bordeaux, mas hoje em dia os mais conhecidos são produzidos na região da Borgonha, não tão distante de Paris e Lyon. Essa região recebe turistas de todo o mundo e um dos seus aspectos positivos é o bom vinho apreciado por lá.

Conheça agora alguns dos mais famosos vinhos da França:

Médoc: vinhos tintos, das margens do Rio Gironde, ao norte de Bordeaux

Margaux; vinhos tintos também, porém moderadamente encorpados

Chablis: um dos vinhos brancos franceses mais famosos

Saint Emilion: é um dos principais vinhos tintos e um dos mais famosos da região de Bordeaux

Nuits-Saint-Georges: vinho tinto com aroma de cereja, cassis e truffe.

Obviamente aqui só estão poucos dos mais conhecidos vinhos produzidos na magnífica França.

 

Alimentos típicos da França

Todos sabem que a culinária francesa é uma das mais riquíssimas que existem e dizer isso talvez seja relativo, já que cada pessoa tem um gosto diferente. Porém essa afirmação significa dizer que os restaurantes presentes na França são sem dúvida, dos mais renomados estabelecimentos com dotes culinários que há. Conheça alguns alimentos típicos de lá:

Fonte: http://www.getninjas.com.br

Croissant

croissant

Esse já é querido pelos brasileiros, sua massa era inicialmente feita como a de pão comum e ao longo do tempo foi modificada. A massa folhada como conhecemos foi aprimorada pelos padeiros de Paris, no início do século 20.

Petit Gâteau

Petit_Gateau

Outro prato bem conhecido e delicioso! A receita original é composta por um bolo de chocolate mal passado e com interior cremoso, acompanhado de uma bola de sorvete de baunilha. Aqui no Brasil já podemos encontrar várias versões dessa receita. Veja como preparar um delicioso petit gâteau.

Macarons

macarons

O prato foi na realidade introduzido na França pela Catarina di Médici, uma rainha italiana. Mas as freiras de Nancy descobriram a receita secreta e passaram a produzi-la, tornando a cidade um local famoso pelos primeiro macarons franceses. O prato foi incrementado, no século XX, com deliciosos recheios, deixando-os do jeito que conhemos hoje. O prato é super requisitado em eventos aqui no Brasil, com várias cores.

Madeleine com especiarias

madeleine

Um bolinho amanteigado em formato de concha. É um dos doces mais tradicionais da cozinha francesa e ficou eternizado na obra do escrito Marcel Proust, “Em busca do tempo perdido”, na qual ele descreve as lembranças despertadas pelas ‘madalenas’, como também é conhecida.

Ratatouille

ratatouille

É um receita típica da região de Província, na França. O nome significa picar ou triturar. Um prato a base de legumes, não pode faltar beringela nem tomate. Para quem não conhecia o prato, provavelmente passou a conhecer depois do filme do ratinho cozinheiro, intitulado com o nome do prato típico francês, Ratatouille.

Cassoulet

CASSOULET

Típico das cidades de Carcassone, Castelnaudary e Toulouse. É um clássico da culinária francesa e teria nascido durante a guerra dos Cem Anos, como um cozido feito com todos os ingredientes disponíveis, análogo a nossa feijoada. É um prato ideal para o inverso, preparado com feijões brancos, frango e variedades de carne de porco.

Profiterole

profiteroles

 

Uma deliciosa sobremesa feita de massa açucarada recheada com cremes, sorvetes ou caldas. É um doce bastante popular na França, e teria sido criado por um chef italiano, atendendo a um pedido de Catarina de Médicis.

Croque monsieur

croque-monsieur

É um lanche preparado com pão de forma, queijo gruyère, manteiga e molho branco bechamel. O prato nasceu em Paris, no início do século 19. E que tal um Croque Monsieur para o lanche da tarde?

Quiche lorraine

quiche-lorraine

Um prato tradicional da região da Alsácia. Tem como recheio uma mistura de bacon, creme de leite, manteira e noz-moscada.

Coq au vin

Coq-Au-Vin

Uma receita que já possui séculos de existência. Segundo consta, foi criado para o imperado romano, Julio César, ao conquistar a região da Gália. A receita original era preparada com galos em idade avançada e o vinho para amaciar a carne. Hoje em dia, pode ser feito com frango ou galinha caipira, é cozinhado com bacon, cebora, alho, vinho tinto, cogumelos, salsa, entre outros ingredientes.

Esses alimentos são muito conhecidos em qualquer lugar do mundo, inclusive no Brasil.

Aula de Francês #01 | Francês Básico

Assista este vídeo que te mostra uma aula de francês básico. (obrigado, Canal Flavia Penereiro).

Espanglish Traduções oferece os seus serviços da tradução em Francês. Tradução juramentada, técnica, legendas e tradução simultânea e consecutiva em Francês.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

 

Disney anuncia expansão do parque em Paris

Disneyland francesa ganhará três novas áreas temáticas inspiradas nos heróis da Marvel, na animação “Frozen” e na saga Star Wars. Projeto de ampliação, com início previsto para 2021, terá custo de 2 bilhões de euros.

A Walt Disney Company anunciou nesta terça-feira (27/02) que planeja investir 2 bilhões de euros na expansão da Disneyland Paris, na França. O projeto de ampliação do parque, com início previsto para 2021, inclui três novas áreas, inspiradas nos heróis da Marvel e nos filmes Frozen e Star Wars.

O anúncio foi feito após uma reunião entre o presidente da França, Emmanuel Macron, e o CEO da Disney, Robert Iger, no Palácio do Eliseu, na capital francesa.

Em comunicado, a empresa americana descreveu o projeto como “um dos mais ambiciosos” da história do parque parisiense desde sua inauguração, há mais de 25 anos.

“A ampliação vai incorporar personagens emblemáticos e histórias incomparáveis para criar novos mundos, atrações e entretenimento, que vão melhorar ainda mais a experiência dos visitantes e impulsionar novas oportunidades para o turismo desta dinâmica região”, disse Iger na nota.

Macron, por sua vez, agradeceu ao CEO pelo “investimento a longo prazo e o forte comprometimento” da Walt Disney Company com o país europeu. “Sua confiança mostra que a França está de volta”, escreveu o presidente francês no Twitter.

Além das novas áreas temáticas, o projeto bilionário inclui ainda a construção de um lago artificial, que concentrará espetáculos de entretenimento ao vivo e ligará cada um dos novos espaços. A expansão deve ser lançada em fases e ainda não tem previsão para ser concluída.

Segundo a empresa, a Disneyland Paris é o principal destino turístico europeu, tendo recebido mais de 320 milhões de visitantes desde sua abertura, em 1992. Ela conta atualmente com dois parques temáticos, sete hotéis e uma área de lazer, a Disney Village, de 30 mil metros quadrados.

O parque corresponde a 6,2% da receita da França com turismo, segundo estatísticas oficiais divulgadas pela empresa, além de empregar 16 mil pessoas de aproximadamente 100 nacionalidades.

Fonte: http://www.dw.com/pt-br/disney-anuncia-expans%C3%A3o-do-parque-em-paris/a-42763456

Espanglish Traduções oferece os seus serviços de tradução na língua francesa.

Tradução de Francês. Tradução Simultânea em Francês.
Tradução Técnica em Francês. Legendas de vídeos em Francês. Tradução Juramentada em Francês. Tradução Consecutiva em Francês. Tradução Escrita em Francês.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

COMO INICIAR A CARREIRA DE TRADUTOR FREELANCER

www.espanglish.com.br-atendimento@espanholinglescuritiba.com.br-(41)3308-9498

O trabalho de freelancer é bastante abrangente. Na realidade, existem centenas de profissões que podem utilizar o regime de freelancer. No entanto, uma das mais comuns é a de tradutor freelancer. Esta área de negócio tem aumentado bastante nos últimos anos, principalmente a partir do momento em que a internet passou a ser uma ferramenta comum a todos os profissionais. Hoje em dia, é bem mais fácil encontrar propostas de trabalho na área de tradutor. Além disso, o número de ferramentas para tradução cresce a cada dia que passa. Por este e por mais alguns motivos, neste post vamos dar a conhecer alguns passos essenciais para trabalhar este nicho de mercado tão aliciante nos dias de hoje.

É inegável que o mercado da tradução hoje é bem mais agressivo e dinâmico que na época de Jerónimo de Strídon, padroeiro dos tradutores, que traduziu nada mais, nada menos, que a Bíblia, do grego antigo e do hebraico para o latim, no século IV d.C. Por isso, a finalidade deste artigo é nortear os primeiros passos de quem pretende adentrar-se ao universo fascinante, satisfatório – e às vezes lucrativo – da tradução. No entanto, antes de abordarmos diretamente o assunto vamos abrir um parêntesis e definir três aspectos que, apesar de serem rudimentários, são importantíssimos para exercer a profissão, e, se não forem devidamente observados, será impossível para qualquer freelancer manter-se ativo como tradutor profissional.

Primeiro: É imprescindível que o tradutor freelancer tenha um ótimo domínio sobre sua língua materna. Talvez seja por isso que os profissionais com formação em Letras, ou em Tradução, sejam os mais cotados por algumas agências, para preencher as vagas disponíveis no mercado. Deve-se considerar que, apesar da profissão de tradutor não ser regulamentada no Brasil – fato que tecnicamente permite a execução da função por qualquer pessoa, mesmo sem nenhuma formação específica -, é óbvio que a qualidade da tradução vai depender do nível de conhecimento que o profissional possui do seu próprio idioma.

Segundo: Precisamos esclarecer o que é, ou quem está apto para ser um tradutor. Neste caso, eu sempre digo que conhecer, ou de “gostar” de um segundo idioma, não faculta ninguém para traduzir. Não vale dizer que morou muitos anos em outro país, ou que é descendente de estrangeiros. O processo de domínio de uma segunda língua não se resume somente a isto. O domínio real de qualquer idioma, geralmente, deve-se a quatro habilidades fundamentais, que são: Entender, ler, falar e escrever perfeitamente algum idioma, seja ele  estrangeiro ou nacional. A capacidade de adaptar fielmente um idioma a outro, configura o que chamamos de Tradução. Portanto, traduzir seria uma quinta habilidade, que, diga-se de passagem, é uma qualificação indispensável para o candidato a tradutor.

Terceiro: A “tradução” é a adaptação de um texto estrangeiro para a nossa língua materna. Quando encontramos uma situação inversa, ou seja, quando adaptamos um texto escrito na nossa língua materna para um idioma estrangeiro, chamamos de “versão”. É recomendável, principalmente para os iniciantes, trabalhar apenas com as traduções, pois o fato de dominar melhor a sua própria língua o ajudará a reduzir a possibilidade de cometer erros, que, se ocorrerem sucessivamente, podem danificar a sua reputação e encerrar prematuramente a sua carreira como tradutor. Uma solução para não perder clientes, seria associar-se com tradutores nativos de outras nacionalidades. Desta forma, teremos a garantia de estar prestando um serviço de qualidade incontestável. Agora, munidos com estes três fundamentos, é hora de ir direto ao assunto. Vamos iniciar comentando sobre alguns desafios contemporâneos que os tradutores freelancers enfrentam no exercício da função.

PROGRAMAS DE TRADUÇÃO AUTOMÁTICA

Um destes desafios, sem dúvidas, são os programas de tradução automática. Muitos desses programas são disponibilizados gratuitamente na Internet, liderados pelo gigante Google Translator. Neste caso, devemos considerar o fato de não existir um software de tradução que supere a percepção humana em quanto à semântica, que é quando recriamos um texto respeitando o preciso sentido das suas palavras e da mensagem transmitida. Com um teste simples em qualquer site de tradução automática, será possível comprovar que a máquina, definitivamente, ainda não supera o cérebro humano. Receio que, inevitavelmente, algum dia isto ocorra, mas pelo menos por ora, os tradutores profissionais podem ficar tranquilos.

PREÇOS

Outro assunto que também é um desafio, é a questão dos preços. Eu costumo seguir as tarifas sugeridas no site do Sindicado Nacional dos Tradutores (SINTRA), pois estas, apesar de serem modestas, constituem uma base sólida para que um tradutor freelancer possa formular seus preços no Brasil.

O problema está na prostituição de alguns profissionais que, no desespero de ganhar algum dinheiro, praticam preços muito abaixo dos que são praticados no mercado, prejudicando outros tradutores e tornando a profissão quase insustentável. Por exemplo, o SINTRA sugere que o custo da tradução seja de R$0,26 por palavra, mas já vi “tradutores” cobrando apenas R$0,03 por palavra. É óbvio que devemos ajustar o preço sugerido pelo SINTRA de acordo ao volume de trabalho concedido pelo cliente, mas este não foi o caso do exemplo citado acima, pois o volume da tradução em questão era relativamente pequeno e, ainda que o volume fosse enorme, convenhamos que nada justifica cobrar R$ 0,03 centavos numa tradução.

Uma das grandes vilãs no quesito preço, são as agências de tradução, que, aproveitando-se da sua capacidade de absorver um grande volume de traduções com preços imbatíveis, repassam os serviços para freelancers ao redor do mundo, pagando honorários ridículos. Por isso, o tradutor freelancer independente deverá trabalhar na construção de relacionamentos de confiança com seus clientes. Talvez leve algum tempo até conseguir construir uma lista interessante, mas, se for capaz de fazê-lo, após alguns anos terá uma carteira de clientes invejável e fiel, e, desta forma, não dependerá das migalhas que caem das mesas das agências.

Uma sugestão neste caso é: Formar o seu preço e fixar um piso justo, tanto para você quanto para o mercado, e, sob nenhuma hipótese, aceitar serviços com preços abaixo do que foi estipulado. Tanto os profissionais como os clientes devem reconhecer que os preços praticados estão diretamente relacionados com a qualidade dos resultados esperados. Portanto, se o que procuram é a qualidade ótima, deverão cobrar/pagar o equivalente pelos serviços em questão.

 

MEMÓRIAS DE TRADUÇÃO

Os softwares de memória de tradução, diferentemente dos softwares de tradução(que já foram citados no início), são grandes aliados para agilizar o processo da tradução. Mas não podemos nos enganar com as maravilhas destas ferramentas, afinal, quem traduz é o tradutor, não o computador. Ainda hoje há tradutores que trabalham com lápis e papel, sem nenhum recurso eletrônico. Claro, são a minoria, mas existem. O resultado final é igual e, talvez, superior aos obtidos utilizando a ajuda destes softwares. A desvantagem de traduzir sem utilizar os meios informáticos é que o trabalho resultará lento e demorado, ou seja, inviável para a nossa realidade moderna. Portanto, se quiser manter um bom fluxo de trabalho, deverá adaptar-se às ferramentas que estão disponíveis e aprender a extrair o máximo proveito delas. Aqui vão algumas dicas de softwares de memórias de tradução:

TRADOS

Este é o mais conhecido entre os tradutores e, também, o mais exigido pelas agências. Possui funcionalidades diversas, que facilitam a vida dos profissionais. É um software privativo e os preços variam de acordo à versão do programa que o usuário preferir. O site oficial é owww.translationzone.com.

WORDFAST

Também é privativo, mas possui uma ótima versão de demonstração gratuita. Na minha opinião, é um pouco mais fácil de utilizar que o Trados, e está disponível em várias versões no site oficial:www.wordfast.com/.

OMEGAT

Trata-se de um programa opensource, e o download é gratuito. Se partirmos do princípio que quem traduz é o tradutor e não o computador, este software servirá com folga para atingir os objetivos da tradução freelance. Site: www.omegat.org.

TRADUÇÃO SIMPLES E TRADUÇÃO JURAMENTADA

Todos os aspectos que comentamos até agora são referentes somente às traduções simples ou livres, ou seja, as que não se enquadram nas exigências da fé pública como os manuais, textos técnicos, livros, monografias, teses, e alguns tipos de documentos, entre outros. No caso das traduções Oficiais ou Juramentadas, como os documentos, procurações e certidões, somente podem ser realizadas por tradutores concursados nas Juntas Comerciais dos Estados brasileiros. Os tradutores aprovados nestes concursos recebem o título de Tradutor Público, ou Tradutor Comercial. Em síntese, a tradução feita por estes profissionais não é melhor nem pior que a do tradutor freelancer. A única diferença é o caráter oficial da tradução exigido pelos órgãos públicos, para dar boa fé dos documentos traduzidos.

RESPONSABILIDADES FISCAIS E APOSENTADORIA

O tradutor freelancer é um trabalhador com os mesmos direitos e deveres dos seus concidadãos. Por isso, deverá dar atenção especial aos fatores como a Previdência Social, a Receita Federal, a emissão de nota fiscal, contratos, licenças de funcionamento, registros nos órgãos públicos, enfim, todas as burocracias exigidas por lei para a execução de qualquer atividade econômica lícita. Contratar um seguro de vida, um plano de aposentadoria privada e consolidar uma poupança são fatores indispensáveis, afinal, nunca é demais prevenir-se dos altos e baixos, bastante comuns, de quem desempenha este trabalho.

PERFIL GERAL DOS TRADUTORES FREELANCERS

Vamos concluir apresentando alguns dados, levantados nas pesquisas amostrais de uma comunidade de tradutores na Internet que, atualmente, conta com mais de 8 mil membros. Veja o que elas revelam:

Dados Gerais

70% dos tradutores já moraram no exterior ou já saíram do Brasil.

41% tem como fonte de clientes as referências de amigos e conhecidos.

71% não participam em nenhuma associação de tradutores.

42% nunca sofreram calote.

61% tem a tradução como atividade principal.

62% tem uma renda média mensal de 3 a 6 mil reais.

71% diz não temer ao Google Translator.

Escolaridade

18% tem Mestrado ou Doutorado.

73% tem o ensino superior completo ou incompleto.

4% completaram apenas o ensino médio.

Tipo de softwares que utilizam

36% utiliza softwares privativos.

12% utiliza Opensource.

17% utiliza softwares obtidos de forma ilegal.

66% utiliza Wordfast ou Trados.

25% não usam nenhuma ferramenta de memória de tradução .

Tipos de tradução

44% das traduções são técnicas.

15% são literárias.

8% são científica.

7%  são legendagem.

Local de trabalho

86% trabalham em casa ou no escritório próprio.

4% trabalham em uma agência de traduções.

6% em alguma empresa ligada à área.

Índice de satisfação

51% dos tradutores dizem estar satisfeitos com sua atividade.

37% afirmam estar insatisfeitos.

A maioria dos casos de insatisfação ocorre por parte dos novatos, por conta da falta de experiência e, também, pela falta de clientes regulares. Estes dados, por serem amostrais, não podem nos servir como um parâmetro, mas, como referência, são suficientes para nos dar uma ideia geral do comportamento do mercado e dos profissionais da tradução no país.

Fonte: http://www.escolafreelancer.com/como-iniciar-a-carreira-de-tradutor-freelancer/

Como a França moldou o Brasil

www.espanglish.com.br-atendimento@espanholinglescuritiba.com.br-(41)3308-9498

http://www.espanglishtraducoes.com.br/conteudo/traducao-frances.html

Apesar do fracasso em ocupar o território da antiga colônia portuguesa, os franceses exerceram uma influência decisiva na formação brasileira

Laurentino Gomes | 29/06/2009 07h26

Este é o Ano da França no Brasil. De 21 de abril até novembro, brasileiros de 15 cidades poderão ver o que os franceses têm de melhor. A lista inclui exposições de arte, concertos musicais, espetáculos de dança, teatro e cinema, debates e celebrações. É parte de um projeto ambicioso de intercâmbio, que começou em 2005, comemorado como o Ano do Brasil na França, com o objetivo de mostrar as novidades da cultura dos dois países.

Essa história é bem mais antiga do que se imagina. Envolve uma relação de confronto e sedução de parte a parte, que acabaria por moldar de forma decisiva a identidade brasileira. Nos bistrôs e cafés parisienses, a música brasileira é onipresente. Os franceses adoram o samba, o carnaval, a literatura e o cinema brasileiros. O escritor Paulo Coelho é mais celebridade nas ruas de Paris que no Rio de Janeiro. Mas a França já era obcecada pelo Brasil antes mesmo da chegada de Pedro Álvares Cabral à Bahia. A recíproca se provaria verdadeira ao longo dos cinco séculos seguintes. Atualmente, os brasileiros fazem negócios com os Estados Unidos, mas cultuam a gastronomia, a moda, a arte e os prazeres da vida franceses.

No período colonial, o Brasil deixou de ser francês por pouco. Foram os franceses que precipitaram a decisão do rei dom João III (1502-1557) de criar, em 1534, o sistema de capitanias hereditárias, o primeiro esforço de povoamento do Brasil. Nas primeiras décadas do século 16, franceses exploravam pau-brasil no litoral do Nordeste como se fossem donos do território. Há evidências de que já conheciam a costa brasileira bem antes de 1500. Um deles, Jean de Cousin, teria tentado se estabelecer na Amazônia em 1488.

A guerra entre França e Portugal pela posse do Brasil durou mais de dois séculos. O primeiro confronto de que se tem notícia aconteceu em novembro de 1529, quando a nau La Pellérine invadiu a feitoria do rio Igaraçu, em Pernambuco, onde os portugueses tinham uma pequena fortaleza. Os franceses foram expulsos em 1532 pelo comandante Pero Lopes de Sousa (1497-1539). Meio século mais tarde, em 1550, Nicolas Durand de Villegaignon (1510-1571) ocupou o Rio de Janeiro por 12 anos, até ser derrotado por Mem de Sá (1500-1572). Em 1612, outra tentativa de ocupação, dessa vez no Maranhão, reconquistado após dois anos por Jerônimo de Albuquerque (1510-1584). No começo do século 18, haveria ainda mais duas investidas de corsários franceses contra o Rio. A última ocorreu em 12 de setembro de 1711. Ao amanhecer, encobertas pelo denso nevoeiro, 18 embarcações comandadas por René Duguay-Trouin (1673-1736) tomaram a cidade. Trouin foi embora em troca de um grande resgate pelos bens que havia saqueado.

Marcas culturais

Cessada a luta pela ocupação territorial, a influência francesa no Brasil se daria no campo das artes, dos costumes e das ideias. As consequências seriam profundas e duradouras. Seu marco foi a transferência da família real portuguesa para o Rio de Janeiro, em 1808, fugindo das tropas de Napoleão Bonaparte (1769-1821). Ao chegar ao Brasil, dom João VI (1767-1826) iniciou um acelerado período de transformações. O esforço não foi apenas administrativo. Enquanto mandava abrir estradas, construir fábricas e organizar a estrutura de governo, dom João também se dedicava ao que o historiador Jurandir Malerba chamou de “empreendimentos civilizatórios”. Nesse caso, a meta era promover as artes e a cultura e tentar infundir algum traço de refinamento e bom gosto nos hábitos atrasados da colônia.

A maior dessas iniciativas foi a contratação, em Paris, da famosa Missão Artística Francesa. Chefiada por Joaquim Lebreton (1760-1819), secretário perpétuo da seção de belas-artes do Instituto de França, a missão chegou ao Brasil em 1816 e era composta por alguns dos mais renomados artistas da época, incluindo o pintor Jean-Baptiste Debret (1768-1848), Auguste Taunay, escultor (1791-1687), e Grandjean de Montigny (1776-1850), arquiteto.

Oficialmente, o objetivo da missão francesa era a criação de uma academia de artes e ciências. O plano nunca saiu do papel, mas alguns historiadores consideram a chegada da missão o início efetivo das artes no Brasil. Na época da corte, a influência francesa era marcante no Rio de Janeiro. As lojas estavam repletas de novidades que chegavam de Paris. Incluíam vestidos e chapéus da última moda, perfumes, água-de-colônia, luvas, espelhos, relógios, tabaco, livros e uma infinidade de mercadorias até então proibidas e ignoradas na antiga colônia.

Mas foi no campo das ideias que os franceses mais ajudaram a transformar o Brasil. Elas estavam por trás da Inconfidência Mineira, da Revolta dos Alfaiates na Bahia, da Revolução Pernambucana de 1817, da Confederação do Equador, em 1824, e de inúmeros outros movimentos de rebelião. Nos Autos de Devassa da Inconfidência foi encontrada uma coleção dos enciclopedistas francesas na casa de um dos conspiradores. Isso num tempo em que a circulação dessas obras era reprimida. O movimento da Independência, em 1822, foi tramado, em boa parte, dentro das Lojas Maçônicas, que tinham seu berço na França.
Em resumo: às vésperas de sua independência, o Brasil dormia com o autoritário e conservador Portugal, mas sonhava mesmo era com a charmosa e libertária França.

Fonte: http://guiadoestudante.abril.com.br

Tradução Francês

É a língua oficial da França, da Bélgica, da Suíça, de Luxemburgo, de Canadá, de Haiti e de muitos países africanos. O francês é um dos idiomas mais importantes e um dos mais falados em todo o mundo.

Somos uma empresa de

  • Tradução especializada nos serviços de interpretação
  • Tradução simultânea
  • Nas traduções técnicas
  • Jurídicas
  • Comerciais de Português – Francês e Francês – Português, além de outros pares de línguas.

Tradução de documentos para Francês

Oferecemos traduções de todo tipo de documentos em Francês realizadas por tradutores competentes e responsáveis. Os nossos serviços de tradução dirigem-se às empresas que necessitam um serviço rápido e eficiente, assegurando os mais elevados padrões de qualidade e um preço sempre competitivo.

Tradutores de Francês – Português

A tradução é um processo humano. Como tal, os nossos tradutores de Francês são cuidadosamente selecionados – tradutores de Francês com competências e áreas de especialização diferentes, mas sempre comprometidos com o detalhe e a qualidade. Trabalhamos com tradutores que se orgulham do seu trabalho e que possuem interesse genuíno pelos seus clientes.

Tradução Simultânea e outros tipos de Interpretação em Francês

Conte no seu evento com intérpretes nativos de língua francesa que garantirão o sucesso do mesmo. A ESPANGLISH oferece serviços de interpretação Simultânea e Consecutiva em Francês nos 27 estados do Brasil, em congressos, seminários, visitas técnicas, cursos e todo tipo de conferências.

Traduções técnicas Francês – Português

Oferecemos serviços de tradução de documentos técnicos, legais e financeiros em Francês, colaborando com outras agências de tradução e tradutores de Francês. Traduzimos documentos de Francês, tais como manuais, instruções, textos jurídicos, contratos, legislação, relatórios e declarações, bem como documentos médicos e científicos.

Tradução Juramentada de Francês

É a tradução oficial, feita por tradutor público, exigida legalmente em todo o território nacional para documentos oficiais em repartições públicas.

Tradução de websites em Francês

Oferecemos serviços especializados na tradução de websites para Francês. Asseguramos um website traduzido em Francês que otimiza os negócios da sua empresa, tendo textos claros e persuasivos e positivos na apresentação da sua organização e dos seus produtos ou serviços.

Legendagem e Dublagem em Francês

  • A Espanglish Traduções oferece o Serviço de Legendagem e Dublagem em mais de 18 idiomas.
  • O Serviço de Legendagem e Dublagem consiste na tradução por sobreposição de legendas e áudio, respectivamente.
  • Todo Serviço de Legendagem e Dublagem requer uma dedicação detalhada com cada frase e cada sentido, por exemplo: Uma passagem em francês, traduzida para o português, pode ser muito mais longa ou muito mais curta na sua pronúncia, por isso, ela precisa ser ajustada de acordo com o seu sentido e, sobretudo, de acordo com o tempo em que é dita, para não perder o sincronismo. Isso é válido para ambos os serviços, o de Legendagem e o de Dublagem.

Revisão de Textos em Francês

A ESPANGLISH, além de todos os serviços de tradução que atendem às mais diversas áreas, proporciona também um serviço de revisão de textos em Francês, e outras línguas ou revisão de textos em Português que foram traduzidos de outros idiomas, como uma alternativa de custo reduzido para validar o conteúdo dos documentos e permitir que as empresas que possuem profissionais capacitados na língua francesa ou outras em suas estruturas, possam otimizar seus investimentos e reduzir o tempo de entrega e publicação.

Aulas de Francês In Company

Individuais ou turmas reduzidas

Níveis oferecidos

  • Iniciante;
  • Intermediário;
  • Avançado;
  • Conversação.

Respondendo à diversidade das demandas

  • Turismo;
  • Preparação para provas DELF e DALF – TCF – Proficiências;
  • Francês com objetivos especiais FOS
  • Francês para provas de mestrado e doutorado.

Material didático

Métodos modernos e reconhecidos (Tout va bien – Echo – Vite et Bien) e material didático complementar dinâmico e de acordo com o nível e o objetivo de cada aluno.

Aulas e vocabulário específico em

  • Historia da arte;
  • Literatura;
  • Artes cênicas;
  • Gastronomia;
  • Literatura.