Veja como foi o 26º Festival Escolar de Dança de Joinville

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução Científica de Engenharia em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

A arte do movimento voltou a ficar em evidência neste sábado (20), em Joinville. Cerca de 650 alunos de escolas públicas e particulares de Joinville participaram do 26º Festival Escolar de Dança, no Teatro Juarez Machado. O evento é realizado pela Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo.

O espetáculo foi dividido em suas sessões. A primeira, às 10 horas, com a participação das categorias B (Ensino Fundamental I, 1º ao 5º ano) e D (Ensino Médio, 1º ao 3º ano). Às 14 horas, foi a vez dos alunos da categoria C (Ensino Fundamental II, 6º ao 9º ano) subiram ao palco.

Ao todo foram apresentadas quarenta coreografias de Jazz, Danças Urbanas, Danças Populares, Ballet Clássico e Livre, executadas por crianças e adolescentes com idade entre 6 e 18 anos.

Feira do Livro de Joinville vai homenagear Portugal

 Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução de Contrato Social e Estatuto Social em Joinville na língua portuguesa.

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Em dezembro, se completarão 20 anos que José Saramago tornou-se o primeiro escritor da língua portuguesa a ganhar o Nobel de literatura. Deu, assim, um acréscimo de orgulho a 250 milhões de pessoas de novo países que adotam o português como idioma oficial. Entre eles está o Brasil, cujos laços com Portugal serão renovados na Feira do Livro de Joinville 2019, lançada oficialmente na quarta-feira (26).

As tradições e a cultural lusitanas, especialmente na área literária, terão espaço privilegiado na 16ª edição do evento, marcada para de 7 a 16 de junho do ano que vem, novamente no Expocentro Edmundo Dobrawa e adjacências. Com Portugal como país homenageado, espera-se uma aproximação dos leitores com os nossos irmãos do outro lado do Atlântico.

– Vamos reatar e reforçar os fios da nossa história, especialmente no que tange ao idioma – descreveu Sueli Brandão (foto abaixo), presidente do Instituto da Cultura e Educação e organizadora da feira.

Mas essa conexão com a cultura lusitana não será a única a vigorar na próxima edição. O tema escolhido, “Aproximando Corações”, será um esforço para resgatar, por meio da literatura, o público adolescente e reverter um quadro crescente de evasão escolar no ensino médio brasileiro. Tanto quanto isso, será uma tentativa de estancar as notas baixíssimas na redação do Enem, causadas principalmente pela falta de leitura.

– Nossos convidados serão encantadores da literatura para crianças e jovens – reforçou Sueli.

O evento de lançamento serviu como uma grande convocatória para a construção coletiva da programação da feira de 2019, algo já em pleno processo. Segundo Sueli, conversas com vários segmentos da sociedade joinvilense estão em andamento para colher sugestões de convidados e atividades que possam figurar na grade.

fonte: https://ocp.news/cultura/feira-do-livro-de-joinville-vai-homenagear-portugal

Joinville é destino de qualidade para viagem de final de ano

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução de Documentos Técnicos em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Quem vai viajar durante as férias de fim de ano já tem que começar a se planejar. Em Joinville, por exemplo, existem passeios bacanas que podem ser realizados em apenas um dia: isso é ótimo para quem está só de passagem, quer conhecer a cidade e não tem muito tempo de sobra. São atrações culturais, gastronômicas, ecológicas e até de aventura com valores acessíveis e, algumas, gratuitas.

O primeiro lugar é o Parque Expoville Atividades, passeio ideal para ser realizado com família e amigos. São mais de 150 mil m² de área com árvores e lagoas. O local possui mais de dez atividades com valores acessíveis, a partir de R$ 7, além de atrações gratuitas. No local estão disponíveis brinquedos infláveis, futebol de sabão, tobogã e camas elásticas, além de aluguel de bicicletas, carrinhos de rolimã elétricos e minibugues.

Dentro do parque, existe o tradicional cartão-postal da cidade, o Moinho XV de Novembro. Desde 2014, após ser revitalizado, funciona no local o restaurante da Opa Bier, que oferece hambúrgueres com receitas autorais, porções e pratos da culinária alemã, além de chopes e cervejas artesanais produzidas em Joinville.

O Mirante de Joinville também é uma opção. Trata-se de uma estrutura de 14,5 metros localizado no Morro da Boa Vista. Do local é possível ter vista de 360° da cidade. São 600 metros de extensão. Na região do Piraí, dá para encontrar montanhas, cachoeiras, rios e vastos arrozais. A última dica é o Parque Zoobotânico, no Morro do Boa Vista, que tem trilha ecológica e exposição de 160 animais.

fonte: https://metronews.com.br/turismo/joinville-e-destino-de-qualidade-para-viagem-de-final-de-ano

15 lugares incríveis que fazem os joinvilenses se orgulharem da cidade

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução Simultânea em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Que Joinville é uma cidade maravilhosa todo mundo já sabe, mas você já visitou todos os locais de tirarem o fôlego que existem no município?

Sendo a cidade mais populosa de Santa Catarina, Joinville é um dos principais destinos para quem quer conhecer um pouco mais sobre a cultura, arquitetura e culinária alemã.

Leia mais: 10 lugares incríveis para tomar café em Joinville

Separamos aqui alguns dos principais pontos turísticos que você não pode deixar de conhecer, e se já conhece, aproveitar pra dar mais uma passada por lá. Aposto que vai se surpreender novamente.

1. Baía Babitonga

A Babitonga é a maior baía navegável do Estado de Santa Catarina, com 24 ilhas.

Lá é possível passear de balsa para contemplar a paisagem que esse lugar maravilhoso oferece.

Foto Divulgação/Internet

Os turistas também podem apreciar um passeio de barco que passa por 14 ilhas e aproveitar a parada de 1h30 no Centro Histórico de São Francisco do Sul.

2. Escola do Teatro Bolshoi (Festival de Dança)

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil foi inaugurada em março de 2000 e é a única filial do famoso Teatro da Rússia.

Quem tiver interesse em conhecer basta agendar por telefone. O tour é guiado e mostra a estrutura do lugar, além de contar um pouco da história dos alunos e professores.

Foto Nilson Bastian/Divulgação

Para quem visita a cidade em julho ainda pode conferir o festival de dança que acontece na cidade todos os anos, atraindo muitos turistas e profissionais da área.

Funcionamento: 

  • Endereço: Av. José Vieira, 315 (Centreventos Cau Hansen)
  • Horários: Diariamente às 10h e 14h30
  • Agendamento: (47) 3422-4070
  • Preço: R$ 10
  • Mais informações: Site oficial

3. Estação da Memória

O edifício que abriga um dos pontos mais visitados da cidade foi construído em 1906 e funcionou como estação ferroviária de Joinville. O prédio foi tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 2008, tornando-se patrimônio arquitetônico brasileiro.

O prédio da estação esteve totalmente abandonado, servindo como moradia de mendigos, traficantes, pombos e cupins por muito anos, mas foi restaurada em 2007 mantendo todos os detalhes da época que foi construída.

Foto Divulgação/Arquivo histórico de Joinville

Além da arquitetura que chama a atenção dos turistas, contando a história do local através dos trilhos e dos objetos de época, o local conta ainda com um auditório para a exibição de filmes, bares, cafeterias, lojas e área de exposição, o Museu do Ferro de Passar e ao seu lado, o armazém de cargas, construído em 1947, abriga o Museu da Bicicleta.

Funcionamento:

  • Localização: Rua Leite Ribeiro, s/nº (antiga Estação Ferroviária) – Anita Garibaldi – Joinville – SC
  • Horário de visitação: terça a domingo, 10h às 16h
  • Para mais informações: (47) 3422-5222 | estacao@joinville.sc.gov.br
  • Entrada gratuita

4. Estrada bonita

A estrada bonita foi fundada em 1885 por imigrantes que trabalhavam na construção da estrada de ferro de Paranaguá e vieram para a região instalar linhas de telégrafo. As famílias vivem até hoje no local, preservando a cultura da época.

Foto Divulgação/Internet

O ponto turístico está localizado no Distrito Pirabeiraba, às margens da BR-101 e atrai turistas que buscam apreciar belezas naturais ou conhecer um pouco mais a região que lembra um vale de colonizadores alemães, principalmente por sua arquitetura característica e seus produtos coloniais.

Também é possível passear por algumas propriedades, tomar banho nas águas que descem as montanhas e visitar o museu rural.

Funcionamento:

  • Endereço: Estrada Bonita, Rio Bonito – Pirabeiraba
  • Horário de funcionamento: Sempre aberto
  • Para mais informações: (47) 3646-1271 | estradabonita.com.br

5. Mirante

A estrutura encontra-se no ponto mais alto do Morro da Boa Vista, na região central de Joinville. Com quase 250 metros de altura, é possível visualizar quase todos os bairros da cidade e ainda apreciar a linda paisagem da Baía da Babitonga.

Foto Divulgação/Esse mundo é nosso

Quem visita o local ainda pode percorrer uma trilha em meio a Mata Atlântica.

Funcionamento:

Endereço: R. Pastor Guilherme Rau – Saguaçu
Horários: Diariamente, das 7h às 19h
Entrada: Gratuita

6. Morro do Finder

Um dos locais mais visitados pelos amantes das paisagens naturais, o local conta com aproximadamente 50 mil metros quadrados de área de preservação de espécies ameaçadas de extinção, algumas nascentes e uma bela paisagem com vista panorâmica para Baía Babitonga.

Foto Divulgação/Wikiparques

O visitante pode chegar ao local a pé ou de bicicleta, onde encontrará trilhas, grutas, nascentes e lagos.

Funcionamento:

  • Morro do Iririú, Bairro Iririú.

7. Museu Arqueológico do Sambaqui 

É considerado referência em preservação do patrimônio arqueológico brasileiro e na produção de conhecimentos sobre povos construtores de sambaquis, que viveram na região a mais de 5 mil anos.

O museu foi criado em 1969, mas o prédio que hoje é sede do museu foi inaugurado em 1972 com cerca de 45 mil artefatos que evidenciam a cultura e o estilo de vida do povo sambaquiano.

Foto Divulgação/Internet

Entre as peças estão ossos dos indivíduos, pontas de flechas esculpidas em quartzo, animais esculpidos em pedras, utensílios e ferramentas de fibras vegetais trançadas a mais de 3 mil anos.

Funcionamento:

  • Localização: Rua Dona Francisca, 600 – Centro – Joinville – SC
  • Horário aberto ao público: terça a domingo, 10h às 16h
  • Para mais informações: (47) 3433-0114 | sambaqui.adm@gmail.com
  • Entrada gratuita

8. Museu da Imigração e colonização

O museu guarda objetos e documentos relacionados ao processo histórico de imigração e colonização do sul do país. O prédio foi projetado em 1870 para servir como administração da Colônia Dona Francisca e foi tombado pelo Iphan em 1939.

Foto Divulgação/Solotudo

O local é dividido em quatro espaços de exposição:

  •  O Casarão principal, antiga residência e sede da Colônia Dona Francisca foi construído em 1870. Com mais de 850 m², o prédio conta com exposições nos três pisos, onde o visitante pode conferir um pouco da arquitetura e decoração utilizados na época.
  • O Galpão de Tecnologia Patrimonial foi construído em 1963 e possui aproximadamente 280 m². Apresenta maquinários de trabalho dos imigrantes germânicos e também dos luso-brasileiros e açorianos que viviam na região de Joinville.
  • O Galpão de Transportes foi construído em 2006, possui mais de 250 m² contém vários meios de transporte usados na região. Conta com carroças usadas na segunda metade do século XIX e outras que circularam até a década de 1970.
  • O último espaço pertence a administração, antigo escritório do representante dos Príncipes e, mais tarde, dos Procuradores de seus herdeiros. Contém área de 66 m² e foi inaugurado em 1907.

Funcionamento: 

  • Localização: Rua Rio Branco, 229 – Centro – 89201-080, Joinville – SC
  • Para mais informações: (47) 3422-2154 | arquivohistorico@joinville.sc.gov.br
  • Entrada gratuita

9. Museu de arte de Joinville 

O museu de Arte de Joinville foi inaugurado em 1976 para abrigar exposições e manifestações de artistas da cidade, conta com aproximadamente mil obras de colaboradores locais, estaduais, nacionais e internacionais.

A construção tem mais de 150 anos e foi tombada como patrimônio histórico, sendo uma das mais antigas de alvenaria em Joinville.

Foto Divulgação/Secretaria de Turismo de SC

Antigamente a casa pertencia ao imigrante alemão Ottokar Doerffel, primeiro prefeito de Joinville e criador do primeiro jornal da cidade, na segunda metade do século XIX.

Funcionamento:

  • Localização: Rua XV de Novembro, 1400 – América, Joinville – SC
  • Horário de visitação: terça a domingo, 10h as 16h
  • Para mais informações: (47) 3433-4677 | maj@joinville.sc.gov.br
  • Entrada gratuita

10. Parque da Caieira

O parque tem como objetivo principal a preservação e conservação do patrimônio cultural e natural, mas isso não quer dizer que você não possa apreciar o local.

Foto Divulgação/Curta Joinville

Localizado no bairro Adhemar Garcia, às margens da Lagoa do Saguaçu e com aproximadamente 1,27 km², o parque oferece trilhas ecológicas realizadas nas terças-feiras, mediante agendamento.

Funcionamento:

  • Aberto todos os dias, 7h às 19h.
  • Telefone: (47) 3454-9018

11. Parque Porta do Mar

Inaugurado em junho de 2014, o parque está localizado à margem da Lagoa do Saguaçu. O destaque do local é o Trapiche com 126 metros de extensão, a estrutura conta com uma parte fixa e outra flutuante para possibilitar a atracação de embarcações.

Foto Divulgação/Teu mundo, nosso mundo

Além disso, o equipamento conta com duas praças, uma delas com deck para o visitante apreciar a vista e outra com equipamentos de ginástica.

12. Parque zoobotânico

Anexo ao mirante, o parque foi inaugurado em 1995 após uma reivindicação dos moradores e conta com uma área de 17 mil m².

Foto Divulgação/Mapio net

O parque traz a fauna e a flora da Mata atlântica e atualmente estão no local mais de 200 animais de espécies diferentes, além de conter uma área para recreação infantil, trilhas, quiosques e auditório para eventos.

Funcionamento:

  • De terça a domingo, das 9 às 18 horas
  • Rua Pastor Guilherme Rau, 462 – Saguaçu
  • Fone: (47) 3431-5016

13. Pórtico 

O Pórtico do Joinville é outro importante cartão-postal da cidade e recebe muitos turistas. O local é a principal entrada do município e foi construído em estilo enxaimel, influenciado pelas culturas alemã e holandesa.

Foto Divulgação/Viagens e caminhos

O local foi inaugurado em 1979, durante uma das edições da Festa das Flores. Ao lado do pórtico os visitantes podem conhecer o moinho, onde funciona um restaurante e a choperia Opa Bier. O local também é a sede da Secretaria Municipal de Turismo.

14. Praia da Vigorelli

É parte da Baía Babitonga e acessível apenas por estrada de chão, a Praia da Vigorelli não é como as outras, a água é classificada como imprópria para banho, por isso quem quiser visitar precisa se contentar em apenas apreciar a vista e aproveitar os restaurantes em seu entorno.

Foto Divulgação/Internet

Além de curtir a brisa do mar, também é possível fazer passeios de barco ou balsa por lá. A balsa, faz a travessia da cidade de Joinville até a Vila da Glória em São Francisco do Sul.

Funcionamento: 

  • Endereço: Estrada João de Souza Mello e Alvim, s/n° – Vila Cubatão

15. Rua das Palmeiras

Um dos principais cartões postais de Joinville, a Rua das Palmeiras está localizada no centro da cidade e se tornou uma parada obrigatória para os turistas.

Foto Divulgação/Solotudo

A rua conta com 89 palmeiras imperiais, sendo que as 56 primeiras foram plantadas em 1873, e conecta a rua principal do centro até a rua do Príncipe com o Museu da Imigração.

fonte: https://ocp.news/especiais/15-lugares-incriveis-que-fazem-os-joinvilenses-se-orgulharem-da-cidade

Museu da Imigração de Joinville não tem data para reabrir a visitação

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução Juramentada de Balanços e Balancetes em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Um dos mais antigos de Santa Catarina, o Museu Nacional de Imigração e Colonização passa por um período de reforma que vai além dos muros do terreno localizado na Rua Rio Branco, no Centro de Joinville. O local borbulha em ideias e pesquisas de sua equipe de historiadores, que capitaneiam estadualmente o movimento de reformulação do conceito dos museus focados na imigração. Ao mesmo tempo, está fechado para visitação desde fevereiro, sem data para reabrir, à espera de recursos para a revitalização do casarão principal, construído em 1870 e transformado em museu há 61 anos.

Quando anunciou que a visita seria interrompida, há seis meses, a intenção da administração e da Prefeitura de Joinville, responsável pelo espaço via Secretaria de Cultura e Turismo, era de que isso aconteceria apenas no período necessário para preparação do casarão para uma reforma pontual, no alpendre lateral direito, e para execução desta obra.

Localizado no segundo piso, em formato de varanda coberta, o alpendre já estava envergado e sendo mantido por estacas há mais de sete anos. Foi interditado e, depois de alguns anos, o sótão foi fechado pelo mesmo motivo. A obra, orçada em R$ 47 mil, foi concluída na penúltima semana de julho, mas o local continuará fechado para visitação.

Como o acervo, avaliado em 4 mil itens, foi retirado das salas do casarão para esta primeira reforma e acondicionado em outros espaços expositivos do terreno, como a casa enxaimel e os galpões (de meios de transporte e de tecnologia), a ideia é que, por serem objetos e móveis frágeis, não passem por novas mudanças tão cedo. Antes disso, o local deve passar pela revitalização total, que inclui a drenagem de todo o terreno de 3 mil metros quadrados, a construção de um anexo de dois pavimentos, o restauro e as obras de acessibilidade da casa principal.

Das próximas etapas, a única que tem recursos financeiros garantidos é a construção do anexo, que depende da drenagem para ter início. Ele será erguido nos fundos do terreno, no local onde está o galpão usado para a exposição de meios de transporte.

– Essa edificação é um falso histórico, foi construída nos anos 2000, e, por isso, pode ser desmanchada – explica a educadora Elaine Martins.

projeto do museu nacional de imigração e colonização mostra como será o elevador que dará acesso ao segundo e ao terceiro pavimento

Imagem mostra projeto elaborado para garantir a acessibilidade aos pavimentos superiores da casa principal

Modernização faz parte da história

O anexo tem um projeto moderno, para não ser confundido com parte do patrimônio histórico, e terá as condições de uso necessárias para as atividades que o museu demanda, com climatização: servirá como espaço expositivo, acervo técnico e sala de conservação e documentação, além de sala da administração.

A construção é avaliada em R$ 1,3 milhão, verba garantida com recursos do Ministério do Turismo. O restauro da casa principal foi orçado em R$ 1,7 milhão e está em fase de captação de recursos via Lei Rouanet. Há pelo menos uma década ela enfrenta problemas de vazamentos na cobertura, que precisa ser trocada, além de reparos pontuais. O valor também inclui a obra de acessibilidade, com a instalação de um elevador externo que vai até o segundo e terceiro pavimento.

A captação é realizada por meio da Associação de Amigos do Museu Nacional de Imigração e Colonização. A drenagem, que precisa ser feita antes das outras etapas, depende de verba da prefeitura no valor de R$ 80 mil, e não tem previsão para começar.

Ainda que os turistas que chegam a Joinville não possam ir ao museu mais famoso da cidade, que recebe cerca de 30 mil visitantes por ano, a administração salienta que as atividades do museu não estão paralisadas. Entre atendimento à escolas e a pesquisadores, a oferta de aulas de português a imigrantes e eventos sediados no auditório, a principal missão da equipe é repensar o conceito do espaço museológico focado nos fenômenos de imigração e de colonização. É uma ação que começou em Joinville e deve refletir em toda Santa Catarina.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,08-08-2018.Restauro no Museu Nacional de Imigração e Colonização.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)

Acervo está guardado em outros espaços expositivos enquanto as obras não acontecemFoto: Salmo Duarte / A Notícia

Mais do que um espaço de contemplação

Um seminário já foi realizado na cidade em maio, com a formação de um grupo de trabalho liderado pela coordenadora do museu joinvilense, Renata Cittadin, e um fórum estadual ocorrerá em 2019 em Lages.

– Em Santa Catarina, quase 40% dos museus que responderam ao cadastro catarinense de museus têm, em sua denominação, o tratamento desse recorte. Quando descrevem as suas missões, esse número aumenta para quase 60% – afirma Renata

A exposição do Museu, por exemplo, era a mesma há 18 anos. A equipe prepara uma nova exposição para que, na reabertura, ela esteja antenada às novas discussões sobre o tema, e não apenas mostrando o recorte de um período e de um grupo de imigrantes – no caso de Joinville, o foco era basicamente o modo de vida da comunidade germânica que morava na Colônia Dona Francisca na época de sua fundação.

– A imigração não é um fenômeno do século 19, é um fenômeno humano contínuo. É papel dos museus refletir sobre como tratar desse tema. Acredito que vencer os desafios do esgotamento estrutural que o Museu possui é tão importante quanto vencer suas mazelas museológicas – analisa.

fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/joinville/noticia/2018/08/museu-da-imigracao-de-joinville-nao-tem-data-para-reabrir-a-visitacao-10534782.html

Cultura Inglesa Utiliza O Conceito “Perrengue Nunca Mais” Em Nova Campanha

Espanglish Traduções oferece os seus serviços de Tradução de Documentação de certificação em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Reconhecida por sua qualidade de ensino, a Cultura Inglesa lança campanha institucional que destaca os estudantes da instituição como protagonistas e também as diferentes situações em que saber falar inglês é importante, introduzindo o conceito “Perrengue nunca mais. Faça de verdade. Faça Cultura Inglesa”.

Criada pela Momentum, agência offline da instituição, em parceria com a agência digital Mirum, a campanha traz peças com fotos e declarações de alunos que relembram os “perrengues” antes de estudarem na Cultura Inglesa e ações, no digital, com as diferentes situações de “sufoco” onde só o inglês da Cultura Inglesa pode salvar.

“A nova comunicação reforça, de maneira informal e bem-humorada, a importância do inglês e nossa qualidade de ensino, além de destacar o fato da Cultura não cobrar taxa de matrícula nem ter contrato de fidelidade. Na Cultura Inglesa se aprende inglês de verdade, pois entendemos as necessidades de cada aluno, afinal, temos os melhores professores do mercado”, comenta Mariana Rangel, gerente de marketing da Cultura Inglesa, que mantém 56 unidades nos Estados de São Paulo e Santa Catarina.

Com uma linguagem leve e criativa, a campanha contempla peças publicitárias inseridas em diversos pontos de São Paulo Capital e Interior, e região Sul (Itajaí, Florianópolis, Blumenau e Joinville) como shoppings, mobiliário urbano, spot de rádio, transporte público, redes de estabelecimentos e outdoors. “A ideia é impactar o público por meio da identificação com a linguagem utilizada nas peças e, por sua vez, com a marca Cultura Inglesa”, relata Fernanda Chaccur, diretora de criação da Momentum, agência offline da Cultura Inglesa.

Ainda como parte da nova comunicação, serão publicados dois short-films no Facebook, Instagram e YouTube, ambos trazendo momentos de “perrengue” por conta do idioma – um deles (“Profissão Perrengue”) contando a trajetória de um personagem que enfrenta quase tudo, menos o último desafio, que está em inglês, e o outro (“Perrengue”) sobre uma entrevista de emprego que pode dar errado quando não se sabe falar inglês. A Cultura Inglesa conta, também, com a parceria de duas influenciadoras, Carol Moreira e Foquinha, que farão vídeos e posts em seus canais sobre suas experiências como ex-alunas e a importância do aprendizado de inglês. “Todas as ações digitais potencializam o conceito de ‘perrengue nunca mais’ com um tom criativo e um leve toque de humor, mostrando que ter um bom inglês pode abrir portas e ajudar a evitar situações indesejáveis”, finaliza Rodrigo Svezia, diretor de atendimento da Mirum.

A campanha segue ao longo do segundo semestre de 2018, enaltecendo a abertura dos cursos regulares e os desdobramentos do conceito “perrengue nunca mais”, que irá atrair as atenções de futuros alunos.

FICHA TÉCNICA:

Agências: Momentum (offline) e Mirum (online)

Cliente anunciante: Cultura Inglesa SP

Projeto: Campanha 2º semestre 2018 – “Perrengue nunca mais. Faça de verdade. Faça Cultura Inglesa”

Presidente: Maria Laura Nicotero (Momentum)

Vice-Presidente: Gabriel Vallejo (Momentum)

Direção Criativa: Fernanda Chaccur (Momentum) e Filipe Matiazi (Mirum)

Coordenação Criativa: Matheus Poser (Mirum)

Criação: Ana Dams e Maicon Gomes (Mirum)

Direção de Arte: Luciano Honda (Momentum)

Redação: Manuel (Momentum)

Estratégia: Rodrigo Coelho (Momentum) e Lucas Bianchini (Mirum)

Producer: Paulo Setti (Mirum)

Planejamento: Marina Andrade (Momentum)

Mídia: Flávio Ferreira, Stephanie Diez e Thiago Mattos (Momentum)

Art buyer: Quirino Nogueira (Momentum)

Estúdio de Fotografia: Click de gente (Momentum)

Atendimento: Ana Carolina Ribeiro e Ana Carolina Madeira (Momentum) / Rodrigo Svezia, Carolina Sadalla e Beatriz Mendes (Mirum)

Direção de Fotografia: Edu Lopes (Momentum)

Pós-produção e finalização: BVM Cross (Momentum)

Produtora de Áudio: Carbono Áudio (Momentum)

Aprovação do Cliente: Lorraine de Matos, Mariana Rangel, Rodrigo Pizzotti

Filme “Profissão Perrengue”:

Produtora: Fantástica Filmes e Post

Direção de Cena: Henrique Ribeiro

Direção de Fotografia: Jonathan Van Thomaz

Assistentes de Direção: Carol Muller

Designer de Produção e Direção de Arte: Rosane Melink

Direção de Produção: Marina Rossignoli

Produção Executiva: Herminio Vinholi Jr

Pós-produção e Finalização: Fantástica Post

Coordenação de Pós-Produção: Maguilla

Diretores de VFX: Ivan Stephan e Bruno Wotroba

Composição VFX: Michel Takahashi e Karlos Schirmer

Engenheiro VFX: Ivã Stival

Montagem: Fernanda Gadotti

Color Grading: Guilherme Delamuta

Produtora de Som: Jamute

Atendimento: Gabriela Alberti

Direção de Áudio: James Pinto

Produção Musical: Gustavo Oliveira

Sound Design: Gustavo Oliveira

Filme “Perrengue”:

Produtora Audiovisual: Catalunya Filmes

Atendimento: Caio Bocuti

Diretor: João Marcelo

Produtora de Som: Jamute

Atendimento: Gabriela Alberti

Direção de Áudio: James Pinto

Produção Musical: Gustavo Oliveira

Sound Design: Gustavo Oliveira e Marcelo Guerreiro

Sobre a Cultura Inglesa

Há mais de 80 anos no mercado, a Cultura Inglesa é uma associação sem fins lucrativos e a maior rede de ensino do idioma inglês não franqueada do País, o que garante consistência na qualidade de ensino. Além de oferecer um programa de inglês global de primeira linha com componentes online exclusivos e quadros interativos, seus professores passam por, pelo menos, 100 horas de capacitação/ano em cursos e congressos no Brasil e no exterior. A Cultura Inglesa soma 56 unidades nos Estados de São Paulo e Santa Catarina, atendendo a mais de 80 mil alunos, com um corpo docente de mais de 500 professores e oferece uma vasta gama de atividades culturais que incluem teatro infantil e adulto, musicais, música pop e coral.

Sobre a Momentum

A Momentum é uma agência global, presente em 29 países, com 44 escritórios e mais de 2.000 colaboradores. Uma agência que equilibra o pensamento de consultoria e a atitude de agência, promovendo um olhar Total Brand Experience a seus clientes. Não importa a disciplina, a conexão entre marcas e consumidores se dá por meio de experiências verdadeiras que podem acontecer a qualquer hora e em qualquer lugar. Com metodologia global, o trabalho começa no entendimento das necessidades de negócio, passando pela concepção de estratégias de marca e comunicação, compra de mídia, até a execução no ponto de venda, incentivo, eventos, ativação, materiais de ponto de venda e digital. A Momentum cresceu 19% em 2017. E é assim, dessa maneira moderna e parceira que cuidam da relação com seus clientes.

Sobre a Mirum

A Mirum é uma agência digital fundada em 2015 e que nasceu após a união de 11 marcas de agências digitais com perfis muito parecidas e que haviam sido adquiridas mundo afora pela WPP. No Brasil, a empresa nasceu em 1995 como Mídia Digital, e tornou-se CASA depois da aquisição feita pelo Grupo em 2010.

Com 46 escritórios em 20 diferentes países e mais de 240 colaboradores no Brasil, a Mirum possui sede em São Paulo e Curitiba, com clientes como Buscapé, Magazine Luiza, Nestlé, GOL, Nextel, Porto Seguro, ZAP Imóveis, Tigre, Volvo, Warner, SKY e Cyrela em seu portfólio. Em 2017, a Mirum foi pela quarta vez consecutiva reconhecida pela Great Place to Work como uma das melhores empresas para se trabalhar no Paraná. A certificação GPTW é válida por um ano, sendo fruto do reconhecimento das suas práticas no ambiente profissional, e colocou a agência no 1º lugar no ranking Brasil, na categoria Agências de Comunicação (grandes empresas).

fonte: http://www.portaldapropaganda.com.br/noticias/16818/cultura-inglesa-utiliza-o-conceito-perrengue-nunca-mais-em-nova-campanha/

Turismo de eventos cresce em Joinville e gera R$ 50 milhões

Espanglish Traduções oferece os seus serviços de Tradução Técnica de Equipamentos em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

A procura por Santa Catarina na hora de organizar eventos de convenções, exposições e conferências vêm crescendo. O reflexo do aumento do turismo de eventos na região pôde ser observado no último semestre, quando a Expoville, considerada o maior centro de convenções e exposições do Sul do Brasil, anunciou que a comercialização de eventos realizada no primeiro semestre registrou aumento de 15%.

Estudos realizados por instituições da área indicaram que os eventos realizados no primeiro semestre de 2018 geraram cerca de R$ 50 milhões para o município. Isso envolve desde gastos no setor hoteleiro até transportes, gastronomia, comércio, produtos e serviços. Mais de 45 mil pessoas passaram pela Expoville apenas no que se refere a congressos técnicos, feiras, palestras e similares, sem contar com os eventos de lazer realizados. Somente nos últimos seis meses, a Expoville recebeu 39 congressos, feiras, exposições, shows, palestras, entre outros.

“O segmento de eventos se fortaleceu a partir da oferta de espaços, como é o caso da estruturação da Expoville, por meio do consórcio Viseu Caex. Para se ter uma ideia, cerca de 20 eventos foram realizados em 2012 no local, no primeiro de sua administração. Já em 2017 foram quase 170 eventos e para 2018 a expectativa é realizar mais de 200”, afirmou a presidente CVB Joinville Vanessa Venzke Falk.

fonte: http://www.mercadoeeventos.com.br/feiras-e-eventos/turismo-de-eventos-cresce-em-joinville-e-gera-r-50-milhoes/

Empresa de Tradução Juramentada

http://www.espanglish.com.br-atendimento@espanholinglescuritiba.com.br-(41)3308-9498

GARANTIMOS QUALIDADE E PRAZO NA SUA TRADUÇÃO JURAMENTADA

Atendimento diferenciado com verdadeiros profissionais. Traduzimos mais de 30 idiomas e atendemos todos o Brasil com ótimo custo benefício.

Tradução juramentada é a tradução com teor oficial, válida diante das autoridades brasileiras e de outros países. Regida por lei, a tradução juramentada desempenha papel fundamental em situações oficiais.

A entidade responsável pela seleção de tradutores juramentados é a Junta Comercial de cada estado do Brasil. Assim, após passar em concurso público, o tradutor juramentado recebe uma matrícula e suas traduções passam a ter fé pública.

Para esta forma de tradução, é preciso que o tradutor tenha em mãos o documento original, que será carimbado e devolvido.

A Espanglish Traduções tem como parceiros tradutores juramentados nos mais diversos idiomas – Inglês, Espanhol, Francês, Alemão, Italiano, Chinês, Japonês, Turco, Russo, Coreano, Holandês, Hebraico, Árabe, Polonês e outros.

A apresentação do documento da tradução é em papel timbrado oficial, com a matrícula do tradutor, assinatura, carimbo vinculatório, selo e reconhecimento de firma.

Trabalhamos com tradução juramentada de documentos de todo tipo:

  • Tradução Juramentada de Contratos Sociais e Estatutos de Empresas
  • Tradução Juramentada de Contratos em Geral
  • Tradução Juramentada de Balanços Comerciais e Relatórios de Auditoria
  • Tradução Juramentada de Registro da Empresa
  • Tradução Juramentada de Certificados de Livre Exportação
  • Tradução Juramentada de Certificados de Medicamentos ou Correlatos
  • Tradução Juramentada de Certificados ISO
  • Tradução Juramentada de Balanços e Balancetes
  • Tradução Juramentada de Declaração de Imposto de Renda
  • Tradução Juramentada de Antecedentes Criminais
  • Tradução Juramentada de Certidão de Nascimento
  • Tradução Juramentada de Certidão de Óbito
  • Tradução Juramentada de Certidão de Casamento, Averbação de divórcio
  • Tradução Juramentada de Certidão de Batismo
  • Tradução Juramentada de Contratos
  • Tradução Juramentada de Carteira de Vacinação
  • Tradução Juramentada da Carteira de Motorista
  • Tradução Juramentada de Históricos Escolares de 1º e 2º graus
  • Tradução Juramentada de Boletins Escolares
  • Tradução Juramentada de Carteira de Identidade/Passaportes
  • Tradução Juramentada de Carteira Militar/Dispensa Militar
  • Tradução Juramentada de Carteira de Trabalho
  • Tradução Juramentada de Declaração de Renda/ Imposto de Renda
  • Tradução Juramentada de Contra-Cheques
  • Tradução Juramentada de CIC / CPF
  • Tradução Juramentada de Atestados Médicos
  • Tradução Juramentada de Certificados de Conclusão, Diplomas
  • Tradução Juramentada de Extratos de Contas Bancárias
  • Tradução Juramentada de Sentenças de Divórcio
  • Tradução Juramentada de Escrituras Públicas
  • Tradução Juramentada de Escritura Registros de Imóveis
  • Tradução Juramentada de Testamentos
  • Tradução Juramentada de Cartas Rogatórias
  • Tradução Juramentada de Contratos em Geral
  • Tradução Juramentada de Ordens de Pagamento
  • Tradução Juramentada de Boletim de Ocorrência

Consulte!

Os piores erros de tradução da História

Intérprete envergonhou ex-presidente americano Jimmy Carter na Polônia.

A mais recente atualização do Google Translate, que transforma o aplicativo em um intérprete em tempo real, foi elogiada como a peça que faltava para nos trazer “a um mundo sem a barreira da língua”.

Apesar de um ou outro deslize nas traduções oferecidas, o programa nos dá uma ideia de um futuro no qual não teremos mais desentendimentos linguísticos – principalmente aqueles que acabam quase mudando o rumo da História.

A BBC Culture reúne aqui alguns dos piores erros de tradução cometidos no passado, como um astrônomo que teria encontrado sinais de vida em Marte e um presidente americano manifestando seu desejo sexual por um país inteiro.

Vida em Marte

Em 1877, quando astrônomo italiano Giovanni Virginio Schiaparelli começou a mapear Marte, ele inadvertidamente lançou um filão inteiro da ficção científica. Então diretor do Observatório de Brera, em Milão, ele chamou as áreas escuras e claras na superfície do planeta de “mares” e “continentes”, e batizou estreitos com a palavra italiana “canali”. Seus colegas traduziram a informação como “canais”, lançando a ideia de que o planeta teria uma rede de passagens aquáticas construídas por alguma forma de vida inteligente.

Convencido de que os canais realmente existiam, o astrônomo americano Percival Lowell mapeou centenas deles entre 1894 e 1895. Ao longo das duas décadas seguintes, publicou três livros sobre Marte mostrando o que pensava serem estruturas artificiais construídas para transportar água por uma raça de engenheiros brilhantes.

Influenciado pelas teorias de Lowell, H. G. Wells lançou A Guerra dos Mundos em 1897, descrevendo uma invasão de marcianos assassinos na Terra.

Uma Princesa de Marte, romance de Edgar Rice Burroughs publicado em 1917, também mostra uma civilização marciana e usa os nomes dados por Schiaparelli para descrever lugares do planeta.

Os canais artificiais foram um produto de um erro de tradução e de uma imaginação fértil, mas hoje astrônomos concordam que não existem estreitos na superfície de Marte.

Segundo a Nasa, “a rede de linhas cruzadas que cobre a superfície de Marte são apenas um produto da tendência humana a enxergar padrões, mesmo onde eles não existem”. “Quando olhamos para um grupo de borrões escuros desbotados, o olho tende a conectá-los com linhas retas”, explica a agência espacial.

 

Piada de polonês

O ex-presidente americano Jimmy Carter sabia como atrair a atenção de uma plateia. Em um discurso dado durante uma visita à Polônia, em 1977, durante seu mandato, ele ganhou mais atenção do que queria ao parecer ter afirmado: “Eu desejo os poloneses carnalmente”.

Ao menos foi isso o que seu intérprete disse. Na realidade, Carter tinha declarado que queria saber mais sobre os desejos dos poloneses para o futuro.

O intérprete acabou entrando para a História, não apenas por este erro como também por traduzir “Deixei os Estados Unidos esta manhã” por “Deixei os Estados Unidos para nunca mais voltar”.

Segundo a revista Time, até o inocente comentário de Carter de que estava contente em visitar a Polônia saiu como um inusitado: “Estou contente por agarrar as partes privadas da Polônia”.

Em um jantar de Estado durante a mesma viagem, Carter logicamente trocou de tradutor, mas seus problemas não acabaram. Depois de falar sua primeira frase, ele fez uma pausa, mas a plateia ficou em silêncio. Proferiu mais uma sentença e as pessoas continuaram em silêncio. O novo intérprete, que não entendia o inglês do presidente, preferiu simplesmente ficar quieto a dizer coisas erradas. Ao fim da visita, Carter tinha virado motivo de piada na Polônia.

Guerra Fria no limite

Em  plena Guerra Fria, palavras de Kruchov foram tomadas ao pé da letra.

O Google Translate, no entanto, talvez não tivesse conseguido evitar um erro que “esquentou” ainda mais a Guerra Fria.

Em 1956, uma declaração do premiê soviético Nikita Khrushchev a embaixadores ocidentais em Moscou foi traduzida como “Vamos enterrar vocês”. A frase foi estampada em jornais e revistas em todo o mundo, atrapalhando em muito as relações já arranhadas entre a União Soviética e os países do Ocidente.

Quando colocadas em contexto, as palavras de Khrushchev tinham um sentido mais parecido com isto: “Queiram ou não queiram, a História está do nosso lado. Vamos engolir vocês”. O que ele queria dizer era que o Comunismo iria sobreviver ao Capitalismo, que se autodestruiria, em referência a um trecho do Manifesto Comunista de Karl Marx.

Não é a frase mais tranquilizante de se ouvir de um líder soviético, mas também não foi a ameaça que inflamou anticomunistas e acendeu o medo de um ataque nuclear nas mentes dos americanos.

O próprio Khrushchev esclareceu suas declarações anos depois. “Eu disse certa vez ‘Vamos enterrar vocês’ e fiquei em maus lençóis”, afirmou ele, em 1963. “É claro que não vamos enterrar vocês com uma pá. A sua própria classe trabalhadora é quem vai enterrar vocês.”

Imunidade diplomática

Traduções equivocadas feitas durante negociações sempre acabam em polêmica. Uma confusão comum entre o verbo francês “demander”, que significa “perguntar”, inflamou os ânimos entre a França e os Estados Unidos em 1830.

Quando uma secretária traduziu uma mensagem enviada à Casa Branca que dizia “o governo francês pergunta…” como “o governo francês exige… (significado de “demand”, em inglês), o presidente americano ficou ofendido e interrompeu as negociações – restabelecidas apenas quando o erro foi corrigido.

Algumas autoridades já foram acusadas de explorar as diferenças linguísticas para seu próprio proveito. O Tratado de Waitangi, um acordo escrito entre a Coroa Britânica e o povo maori da Nova Zelândia, foi assinado por 500 chefes tribais em 1840. Mas frases conflitantes nas versões em inglês e em maori levaram a disputas, com uma parte dos maoris protestando que o Tratado seria uma fraude.

Profunda sabedoria

                                  O premiê chinês foi interpretado como sábio e paciente pelos americanos.

Uma frase bastante repetida, resultado de um mal-entendido, pode ter sido reforçada por estereótipos raciais.

Durante a visita do presidente americano Richard Nixon à China em 1972, o premiê chinês Zhou Enlai disse que “ainda era cedo para avaliar o impacto da Revolução Francesa”.

Ao contrário do que pareceu aos americanos, Zhen não estava falando do momento histórico iniciado em 1789, mas sim dos movimentos revolucionários de Maio de 1968 na França. Mas, nos Estados Unidos, ele foi elogiado por ter proferido palavras sábias, mostrando uma atitude típica dos chineses de refletir profundamente antes de agir.

Segundo o diplomata americano aposentado Charles W. Freeman Jr., que atuou como intérprete de Nixon na visita, o comentário foi “uma desses mal-entendidos convenientes que nunca são corrigidos”.

“Não posso explicar a confusão causada pela declaração de Zhou, mas ela serviu para apoiar um estereótipo de estadistas chineses como indivíduos de longa visão que pensam em prazos mais longos que seus colegas ocidentais”, diz Freeman.

“Era o que as pessoas queria ouvir e acreditar, e por isso a frase pegou”.

Fonte: http://www.bbc.com/

Quer um serviço de interpretação sem gafes? Entre em contato conosco:

Espanglish Traduções  ( http://www.espanglishtraducoes.com.br)

Traduções Juramentadas

Traduções Técnicas

Tradução de Sites

Tradução de Artigos Científicos

Legendagem

Tradução Simultânea

Tradução Consecutiva e Sussurrada

Locação de Equipamento de Interpretação Simultânea

Tradução e interpretação nas mais diversas línguas, em todo o Brasil de norte a sul:

Inglês, Espanhol, Italiano, Francês, Alemão, Polonês, Russo, Ucraniano, Romeno, Sueco, Holandês, Árabe, Hebraico, Japonês, Mandarim e Cantonês (Chinês), Coreano, Turco, Grego e outras línguas.

EU PRECISO DE UMA TRADUÇÃO JURAMENTADA?

trad jur

Eu preciso de uma tradução juramentada?

O que é tradução juramentada?
Tradução juramentada é a tradução de um documento oficial (ex: diploma, certidão de casamento, procuração, histórico escolar, etc.), que só pode ser realizada por pessoa habilitada – o tradutor público juramentado. É diferente, por exemplo, da tradução de um livro, o comercial de um produto, etc., que pode ser realizada por qualquer pessoa que se considere capacitada.

Quais documentos requerem tradução juramentada?
Alguns órgãos ou repartições do Governo ou empresas particulares (como os estabelecimentos de ensino), requerem tradução juramentada de documentos em língua estrangeira. Se esse documento  precisar ser apresentado à Justiça brasileira ou protocolado em Cartórios de Títulos e Documentos ou em outro tipo de cartórios, deverá obrigatoriamente anexar a tradução juramentada. Os documentos que normalmente requerem tradução juramentada são: atas, carteira de habilitação, certidão de nascimento, casamento e óbito, documentos escolares (certificados de 1º e 2º Graus, diplomas universitários e históricos escolares), certificados de origem, contratos, autos de processos judiciais, passaporte, procurações, sentenças e testamentos.

trad jur 2

Onde achar os tradutores juramentados nos diversos Estados do Brasil?
A Espanglish procura o tradutor certificado que você está procurando, por meio de uma logística que considera o estado no qual você mora, aquele tradutor que fará o serviço no menor tempo e com o melhor custo-benefício.

O que fazer quando em um Estado não há tradutor juramentado de um determinado idioma?
Nesse caso, entre em contato com a Espanglish Traduções e combinaremos como enviar o trabalho por correio ou serviço de entrega expressa. A tradução juramentada poderá ser enviada da mesma maneira.

A tradução juramentada tem validez em todo o Brasil?
Sim, a tradução juramentada vale em todo o território nacional, apesar que os tradutores juramentados estão inscritos em um certo Estado e subordinados à Junta Comercial do mesmo.

Quando não existe tradutor juramentado de um certo idioma no Brasil, como se procede?
Nesse caso, o procedimento mais aconselhado é contatar o consulado desse país no Brasil. O consulado (ou embaixada) poderá nomear um tradutor “ad hoc”, (tradutor com proficiência comprovada no idioma), mas que não seja tradutor juramentado concursado. Certos consulados de países de línguas oficiais pouco comuns também aceitam traduções juramentadas de idiomas mais comuns, como inglês.

A Espanglish Traduções fornece serviço de tradução juramentada no Brasil todo e nas mais diversas línguas (inglês, espanhol, francês, alemão, árabe, hebraico, grego, latim, russo, ucraniano, polonês, mandarim, cantonês, japonês, coreano, tcheco, holandês, italiano, turco e muitas outras).

Garantimos rapidez, qualidade e o preço justo que sua tradução necessita.

Espanglish Traduções

http://espanglishtraducoes.com.br/conteudo/empresa-de-traducao-juramentada.html

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

(41)3308-9498 / (41)9667-9498