Conheça a Inglaterra

Conheça a Inglaterra, um dos mais belos países da Europa. Terra de Shakespeare, The Beatles, Charles Darwin, Isaac Newton, entre outros inúmeros britânicos famosos. País onde se encontram as mais renomadas universidades do mundo, como Oxford e Cambridge. Uma cultura espetacular, em todos os pontos culturais: arquitetura, escultura, pintura, música, poesia, dança e cinema. Apresenta cidades muito conhecidas, como Liverpool, Londres, Manchester, entre outras muito apreciadas pela população de casa e por estrangeiros.

A culinária da Inglaterra foi formada principalmente pelas diversas interações com outros países europeus e a importação de ingredientes da América do Norte, China e Índia durante o período do Império Britânico, e como resultado da imigração ocorrida no período pós-guerra.

Espanglish Traduções
Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução simultânea em inglês. (41)3308-9498 / (41)99667-9498
atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

 

Dicas para escrever um artigo em inglês

Se durante a Pós-graduação você ainda não precisou escrever um artigo em inglês, certamente em breve precisará. E, quando esse momento chegar, provavelmente surgirão dificuldades aqui e ali, devido ao simples fato de que escrever em outro idioma não é como escrever em nossa língua materna.

Foi tendo isso em mente que Mariel Marlow, epidemiologista americana com doutorado realizado no Brasil, resolveu fazer um compilado de 10 deslizes bastante comuns que nós brasileiros cometemos quando escrevemos em inglês e, o mais importante, sugerindo maneiras de melhorarmos nossa escrita.

Como ela própria diz em seu texto, publicado em março de 2014 como editorial na revista Clinics, estes 10 deslizes não são exatamente erros, mas sim um inglês “fraco” que pode facilmente ser substituído por termos mais adequados. Afinal, uma coisa é escrever em inglês, e outra é escrever bem em inglês.

Por isso, como aperitivo para o editorial de Mariel, que fortemente recomendo para quem esteja precisando escrever em inglês (isto é, quase todos nós pós-graduandos!), resolvi colocar neste texto uma demonstração com três das 10 dicas que ela oferece:

 1. Evitar frases que começam com “It is”
No português, é muito comum começarmos frases com “é muito comum”, e isso normalmente não fere o bom uso do idioma. Por outro lado, na tradução direta para o inglês, “it is very common” tem uma estrutura simples e até infantil, ainda que gramaticalmente esteja correta. Isso vale também para os sempre utilizados “It is important” e “It is interesting”, que podem ser substituídos por uma inversão na frase – por exemplo, ao invés de “It is important to highlight the results of Fulano et al.”, escrever “The results of Fulano et al. are important to highlight…”, e então explicar o motivo de você enfatizar estes resultados.

 2. Usar o “the” somente quando se referir a objetos, pessoas ou eventos específicos
O português permite que comecemos frases com os artigos “O”, “Os”, “A” ou “As”, como no caso de “As células foram plaqueadas”. No inglês, entretanto, uma frase começando com “The cells were plated” soa pouco profissional, e o ideal é remover o “the” do início de frases e, nesse caso, escrever “Cells were plated”.

3. Remover o “that”
O texto de Mariel sugere que um jeito rápido de começar a escrever bem em inglês é reescrevendo esta mesma frase removendo o “that”: “Mariel’s text suggests that a quick way…”. Se você ler a frase em voz alta com e sem o “that”, perceberá que ela flui melhor sem ele. Entre as palavras na literatura científica que normalmente não precisam ser acompanhadas do “that” estão: suggest (ou suggested), observe, found (ou was found), show (oushown), is important e highlight.

Pode ser que a princípio algumas dessas modificações soem um pouco esquisitas, mas se prestarmos atenção na ortografia dos papers, veremos que de fato estão entre os primeiros passos para um texto bem escrito. Assim, dica após dica e com um tantinho de treinamento, vamos aprendendo a redigir bons artigos.

Boa escrita!

Referência:
MARLOW, M. A. Writing scientific articles like a native English speaker: top ten tips for Portuguese speakers. Clinics, 69(3): 153-157. 2014.

Fonte: posgraduando.com

A Espanglish faz traduções em inglês e outros idiomas na área de medicina e na mais diversas áreas científicas. Faça um orçamento sem compromissos!

Espanglish Traduções e Cursos

http://www.espanglish.com.br

(41)3308-9498 / 9667-9498

 

Lingua inglesa é exigência para profissão com altos salários

www.espanglish.com.br-atendimento@espanholinglescuritiba.com.br-(41)3308-9498

http://www.espanglishtraducoes.com.br/conteudos/cursos-de-ingles.html

Todos sabem a importância de inglês para se posicionar bem no mercado de trabalho. E cada vez mais, recrutadores brasileiros estão mais criteriosos para contratar funcionários, o que torna o inglês um fator essencial para alguns setores.

Algumas das profissões com melhores salários pedem o inglês como pré-requisito. É o caso de Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Gerente de Marketing e Eventos, Analista de Mídias Sociais, Tecnologia da Informação, Comércio Exterior e Gerente de Recursos Humanos, dentre outros.

É o caso da jornalista Ana Souza, 35, que cursou mestrado em Londres e fez diversos cursos na Europa. “O ingles é sim ferramenta fundamental para que consigamos dar um up nas nossas carreiras. Dominando a língua, eu consegui me encaixar em cursos super importantes para o meu aprimoramento profissional”, assegurou.

“Um profissional com conhecimento de mais de um idioma tem, com certeza, mais chances de conseguir um bom emprego. É diferencial competitivo no momento de uma seleção”, explica a professora de Inglês e franqueada da Skill Idiomas em Manaus, Elizângela Araújo.

De acordo com ela, um bom curso de inglês requer ao menos um ano de aulas semanais e com método que inclua gramática, conversação e práticas presenciais. “Os cursos online exigem muita disciplina e, por isso, as aulas presenciais são as que melhor dão resultado.”

Fonte: http://www.portaldoholanda.com.br/

A importância da língua inglesa para o profissional de Agricultura de Precisão

 

www.espanglish.com.br-atendimento@espanholinglescuritiba.com.br-(41)3308-9498

O mundo não tem se mostrado muito harmonioso ultimamente. Tivemos um mês de Fevereiro extremamente chuvoso, as inundações arrasaram a região serrana do Rio de Janeiro no começo deste ano. No cenário internacional também tem havido tsunamis, o Japão acabou de ser atingido por um terremoto de 8,9 pontos com dimensões catastróficas, em que até usinas nucleares explodiram. Além de toda essa desordem ambiental, os níveis de estoques dos produtos agrícolas estão baixos e os preços, subindo vertiginosamente. O algodão, por exemplo, subiu 60% nos últimos meses, de acordo com dados da Food and Agriculture Organization (FAO).

Se por um lado, nada podemos fazer, pois os desastres ambientais, mesmo com todo o desenvolvimento da ciência, apenas podem ser previstos, por outro lado, no que se refere à baixa dos níveis dos estoques de produtos agrícolas, muito pode ser feito. Podemos nos beneficiar da Agricultura de Precisão para agregar mais produção numa mesma área plantada. Portanto, para o aumento da produtividade, a AP é fundamental.

O Brasil, um país que se propõe a ser o celeiro do mundo no futuro, já vem se beneficiando desse novo olhar promissor para a agricultura, almejando uma produtividade cada vez mais alta, menos gastos com insumos, melhor aplicabilidade dos fertilizantes, maior aproveitamento da área, maior sustentabilidade para o meio ambiente, entre outros inúmeros benefícios que podemos mencionar no que se refere à AP.

É aqui que entra a importância da língua inglesa, pois além de ser a língua mais falada no mundo e a maior parte da produção científica estar em inglês, num mundo globalizado como o nosso tornou-se de supra importância ter conhecimento desse idioma também para a implementação da AP, uma vez que é necessário o uso de várias ferramentas das tecnologias de informação, a utilização de GPS (global positioning system), GIS (geographic information system), maquinário agrícola guiado por satélites, VRT (variable rate technology) e Yield monitor. É para o uso dessas tecnologias que o Inglês torna-se essencial.

Além da língua inglesa ser útil como ferramenta para traduzir toda essa tecnologia para que o produtor saiba utilizá-la corretamente, é essencial para ter acesso a todo esse conhecimento, traduzir manuais, saber utilizar softwares, analisar dados, entre tantas outras tarefas necessárias para lograr um aumento de produtividade de até 20% mais alimentos.

Um outro uso importante da língua inglesa é na troca de informações de pesquisas, pois muito já está sendo feito no exterior, onde existem regiões em que mais de 90% das fazendas já têm departamento de tecnologia de informação, mas num futuro bem próximo, com toda nossa extensão de terras, nossas pesquisas também vão ocupar um lugar de destaque e podemos fazer um intercâmbio de experiências com os outros países.

Os jovens que estão se preparando para trabalhar nessa área devem ter acesso ao aprendizado do Inglês que mostra-se como uma ponte para um mundo vasto de conhecimento. O profissional que não consegue entender a língua inglesa vai ter limitação para “digerir” toda a tecnologia de produtividade alcançada em países mais desenvolvidos e, consequentemente, não logrará implementar a AP, deixando que os concorrentes agreguem mais produtos no mesmo espaço de plantio, onde poderiam capitalizar lucros adicionais para o empresário agrícola que seria revertido para si próprio, melhorando sua qualidade de vida.

Fonte: http://www.diadecampo.com.br

Mercado de trabalho exige outras línguas

www.espanglish.com.br-atendimento@espanholinglescuritiba.com.br-(41)3308-9498

http://www.espanglishtraducoes.com.br/conteudos/cursos-de-ingles.html

Ter fluência no idioma é questão de sobrevivência no mercado, exigindo que as escolas priorizem a conversação

O mercado de trabalho está a cada dia mais concorrido e apresentar uma língua estrangeira já não é mais diferencial, e sim, exigência para quem quer obter boa colocação e bom salário. Por isso, manter o currículo atualizado no que diz respeito a uma segunda, e até mesmo uma terceira língua, é fundamental.

De acordo com a assistente de recursos humanos de empresa de seleção e recrutamento com atuação em Uberaba, Uberlândia, Catalão (SP) e Ribeirão Preto (SP), Denise Lopes dos Santos, 10% das empresas exigem língua estrangeira no currículo. “Mas depende muito do ramo de atividade da empresa e do cargo a ser ocupado. Geralmente são empresas multinacionais com vagas no setor de compras, cargos de secretária e de analistas de recursos humanos.

Por exemplo, uma empresa local não vai exigir que um analista de recursos humanos saiba inglês, porque ele não terá contato com empresas de outros países. Em uma multinacional, a secretária, o analista fiscal e de recursos humanos, por exemplo, devem ter conhecimento em língua inglesa porque terão contato com fornecedores estrangeiros. Depois dela, vem a língua espanhola em razão do mercado na América Latina”, explica.

Rafael Queiroz, empresário do ramo de escola de idiomas em Uberaba, esclarece que as primeiras escolas de inglês no Brasil surgiram com a revolução industrial na década de 50, com objetivo de contratar pessoas que soubessem operar máquinas estrangeiras. Até a década de 80, o foco era na gramática, escrita, leitura e principalmente na tradução para atender essa demanda. “Com a globalização, a necessidade do mercado mudou. Falar inglês com fluência passou a ser mais importante, do que dominar as outras habilidades da língua. O inglês se tornou a língua oficial dos negócios, nos quais ter fluência no idioma é muito mais do que uma necessidade, é uma questão de sobrevivência no mercado”, alerta.

Apenas 2% da população brasileira estudam inglês em escolas de línguas, segundo o empresário, e dentro dessa porcentagem, apenas 0,5% desses alunos conseguem falar inglês fluentemente. “As escolas de línguas com metodologias tradicionais ocupam 90% do tempo do aluno com escrita e leitura, enquanto que para o treino da conversação são destinados apenas 10% da aula. O aluno permanece de modo passivo”, destaca Queiroz.

No entanto, o mercado tem feito as escolas se adaptarem. Atualmente, um funcionário permanece na mesma empresa por volta de três anos. “Isso faz com que qualquer tipo de curso, inclusive o de línguas, tenha que ser muito rápido. As empresas não esperam o funcionário obter conhecimentos para depois dar resultados financeiros e de produtividade”, alerta.

Fonte: http://jmonline.com.br

Empresa de Tradução Juramentada

GARANTIMOS QUALIDADE E PRAZO NA SUA TRADUÇÃO JURAMENTADA

Atendimento diferenciado com verdadeiros profissionais. Traduzimos mais de 30 idiomas e atendemos todos o Brasil com ótimo custo benefício.

Tradução juramentada é a tradução com teor oficial, válida diante das autoridades brasileiras e de outros países. Regida por lei, a tradução juramentada desempenha papel fundamental em situações oficiais.

A entidade responsável pela seleção de tradutores juramentados é a Junta Comercial de cada estado do Brasil. Assim, após passar em concurso público, o tradutor juramentado recebe uma matrícula e suas traduções passam a ter fé pública.

Para esta forma de tradução, é preciso que o tradutor tenha em mãos o documento original, que será carimbado e devolvido.

A Espanglish Traduções tem como parceiros tradutores juramentados nos mais diversos idiomas – Inglês, Espanhol, Francês, Alemão, Italiano, Chinês, Japonês, Turco, Russo, Coreano, Holandês, Hebraico, Árabe, Polonês e outros.

A apresentação do documento da tradução é em papel timbrado oficial, com a matrícula do tradutor, assinatura, carimbo vinculatório, selo e reconhecimento de firma.

Trabalhamos com tradução juramentada de documentos de todo tipo:

  • Tradução Juramentada de Contratos Sociais e Estatutos de Empresas
  • Tradução Juramentada de Contratos em Geral
  • Tradução Juramentada de Balanços Comerciais e Relatórios de Auditoria
  • Tradução Juramentada de Registro da Empresa
  • Tradução Juramentada de Certificados de Livre Exportação
  • Tradução Juramentada de Certificados de Medicamentos ou Correlatos
  • Tradução Juramentada de Certificados ISO
  • Tradução Juramentada de Balanços e Balancetes
  • Tradução Juramentada de Declaração de Imposto de Renda
  • Tradução Juramentada de Antecedentes Criminais
  • Tradução Juramentada de Certidão de Nascimento
  • Tradução Juramentada de Certidão de Óbito
  • Tradução Juramentada de Certidão de Casamento, Averbação de divórcio
  • Tradução Juramentada de Certidão de Batismo
  • Tradução Juramentada de Contratos
  • Tradução Juramentada de Carteira de Vacinação
  • Tradução Juramentada da Carteira de Motorista
  • Tradução Juramentada de Históricos Escolares de 1º e 2º graus
  • Tradução Juramentada de Boletins Escolares
  • Tradução Juramentada de Carteira de Identidade/Passaportes
  • Tradução Juramentada de Carteira Militar/Dispensa Militar
  • Tradução Juramentada de Carteira de Trabalho
  • Tradução Juramentada de Declaração de Renda/ Imposto de Renda
  • Tradução Juramentada de Contra-Cheques
  • Tradução Juramentada de CIC / CPF
  • Tradução Juramentada de Atestados Médicos
  • Tradução Juramentada de Certificados de Conclusão, Diplomas
  • Tradução Juramentada de Extratos de Contas Bancárias
  • Tradução Juramentada de Sentenças de Divórcio
  • Tradução Juramentada de Escrituras Públicas
  • Tradução Juramentada de Escritura Registros de Imóveis
  • Tradução Juramentada de Testamentos
  • Tradução Juramentada de Cartas Rogatórias
  • Tradução Juramentada de Contratos em Geral
  • Tradução Juramentada de Ordens de Pagamento
  • Tradução Juramentada de Boletim de Ocorrência

Consulte!

Qual a importância da língua inglesa no mercado de trabalho?

www.espanglish.com.br-atendimento@espanholinglescuritiba.com.br-(41)3308-9498

http://www.espanglishtraducoes.com.br/conteudos/cursos-de-ingles.html

Em um mundo cada vez mais conectado, a fluência no inglês é uma premissa básica para quem deseja evoluir no mercado de trabalho

Você tem todas as qualificações, sólida formação e uma considerável experiência, mas não fala inglês. Este detalhe pode, realmente, fazer toda a diferença entre conseguir ou não o emprego dos seus sonhos. E não se trata apenas de um capricho das empresas: em um mundo cada vez mais conectado, ter fluência na língua estrangeira, considerada número um do mundo dos negócios, é muito importante.

O profissional não precisa sentir-se inibido diante da constatação de que não tem dentre as suas habilidades a fluência em inglês. Pesquisas apontam que apenas 8% dos brasileiros das classes A e B (as que contam com maiores oportunidades financeiras) sabem falar o idioma. Este dado aponta para uma tendência cultural de não enxergar o aprendizado do inglês como uma prioridade. Associa-se a este fator o deficitário sistema educacional brasileiro que, principalmente nas escolas públicas, oferece um conhecimento vago e escasso para o aprendizado da língua.

Independente deste contexto, o mercado de trabalho no Brasil segue a tendência mundial. Mesmo quando consegue um emprego, o profissional que não fala inglês ganhará menos do que aquele que fala. Pesquisas apontam que esta diferença pode chegar a 65% em um cargo de supervisão.

Portanto, falar inglês é imprescindível para quem realmente almeja evoluir profissionalmente ou obter o máximo de ganhos com o seu trabalho. Muitas são as empresas que, mesmo nacionais, fazem negócios com parceiros ao redor do globo. Com a internet, as relações internacionais também foram facilitadas, expandindo os horizontes de negociações e trocas de informações entre profissionais de países distintos. E o idioma para a comunicação entre eles é, na grande maioria das vezes, o inglês.

Para quem quer aprender, o primeiro passo é buscar, em escolas especializadas ou na internet, testes que atestem o seu nível. A partir daí, tomada a decisão de avançar no aprendizado da língua, podem-se escolher caminhos diferentes – desde aulas particulares ou em grupos, até as tradicionais escolas de inglês. O curso online é outra novidade bem-vinda, com sua flexibilidade de horário e local.

A internet também pode ser um canal para a prática do inglês: em sites especializados como o Livemocha é possível encontrar pessoas de várias partes do mundo interessadas em conversar em uma língua estrangeira específica. Batendo um papo com nativos de países de língua inglesa será possível, com o tempo, atingir um grau maior de desinibição e segurança. Cursos especiais para profissionais, presenciais ou online, ajudam a aprimorar o uso de termos corporativos e/ou mais ligados ao seu ramo de atuação.

Depois de iniciada esta jornada, o importante é não desistir. Mesmo que em alguns momentos possam surgir dificuldades ou inibições, o profissional deve ter em mente os benefícios e resultados positivos que a fluência na língua inglesa poderá trazer.

Fonte: http://www.mundocarreira.com.br