Doces japoneses (não artesanais)

Veja alguns doces específicos deliciosos do Japão. Doces orientais são uma experiência única. Muitos deles se assemelham com os doces ocidentais mas a maioria é bem diferente e muito saboroso. Aproveite e veja este vídeo com alguns dos doces encontrados em mercados e feirinhas no Oriente. Não são doces artesanais mas são tão deliciosos quanto.

Espanglish Traduções

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução simultânea em japonês.

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

A língua japonesa

língua japonesa (日本語; nihongo) é um idioma do leste asiático falado por cerca de 128 milhões de pessoas, principalmente no Japão, onde é a língua nacional. É membro da família das línguas japônicas e sua relação com outras línguas, como o coreano, é debatida. O japonês foi agrupado com famílias linguísticas como a Ainu, as Austro-asiáticas e a agora desacreditada Altaica, mas nenhuma dessas propostas ganhou ampla aceitação.

Pouco se sabe sobre a pré-história da língua japonesa, ou quando apareceu pela primeira vez no Japão. Documentos chineses do século III d.C registraram algumas palavras japonesas, mas textos substanciais não apareceram até o século VIII. Durante o período Heian (794–1185), os chineses tiveram considerável influência no vocabulário e na fonologia do japonês antigo. Os japoneses do final do período médio (1185-1600) incluíam mudanças nas características que o aproximavam da linguagem moderna e a primeira aparição de empréstimos europeus. O dialeto padrão mudou-se da região de Kansai para a região de Edo (onde hoje fica Tóquio) no início do período japonês moderno (início do século XVII a meados do século XIX). Após o fim, em 1853, do isolamento auto-imposto do Japão, o fluxo de empréstimos das línguas europeias aumentou significativamente. Várias palavras emprestadas do inglês, em particular, tornaram-se frequentes e palavras japonesas de raízes inglesas proliferaram.

O japonês é uma língua aglutinante, com uma fonotaxia simples, um sistema de vogais puras, vogais fonêmicas e comprimento de consoante e um sotaque lexicalmente significativo. A ordem das palavras é normalmente sujeito-objeto-verbo com partículas marcando a função gramatical das palavras, e a estrutura da frase é tópico-comentário. Partículas de sentenças finais são usadas para adicionar impacto emocional ou enfático, ou fazer perguntas. Os substantivos não têm número gramatical ou gênero, e não há artigos. Os verbos são conjugados, principalmente para tempo e voz, mas não para pessoa. Equivalentes japoneses de adjetivos também são conjugados. O japonês tem um complexo sistema de construções honoríficas com formas verbais e vocabulário para indicar o status relativo do falante, do ouvinte e das pessoas mencionadas.

O japonês não tem relação genética com o chinês,[2] mas faz uso extensivo dos caracteres chineses, chamados de kanji (漢字), em seu sistema de escrita, e uma grande parte do seu vocabulário é emprestada da língua chinesa. Junto com o kanji, o sistema de escrita japonês usa principalmente dois silabários, o hiragana (ひらがな; 平仮名) e o katakana (カタカナ; 片仮名). O alfabeto latino(ou romaji) é usada de maneira limitada, como para acrônimos importados, e o sistema numeral usa principalmente números arábicos ao lado de numerais chineses tradicionais.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_japonesa

Espanglish Traduções

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução simultânea em japonês.

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Trabalho no Japão

Quem pode trabalhar no Japão?

Trabalhar no Japão: fábrica

Para trabalhar no Japão é autorizado somente descendentes. No entanto, o governo japonês tem liberado vagas para estudantes, bolsas e trabalhadores extremamente qualificados. Entretanto, é necessário ter a fluência na língua e convite de uma empresa.

Profissionais altamente qualificados – HSP ou HSFP

Este tipo de visto é destinado para trabalhadores estrangeiros que sejam talentosos e que possuem habilidades avançadas e especializadas. Portanto, é um visto especial que só pode ser solicitado se a pessoa tiver um emprego específico ou o convite de alguma empresa.

Estudante

O estudante que queira fazer um curso de graduação ou pós graduação pode trabalhar no Japão com algumas restrições. Primeiro, deve solicitar permissão para a universidade e depois aplicar para uma licença especial. No entanto, somente pode trabalhar até 28 horas semanais.

Descendentes

Se não for um profissional qualificado, o brasileiro só pode trabalhar no Japão se for descendente. Precisa passar por um processo para solicitar o visto e ser liberado para trabalhar no país.

Cônjuge de japoneses

Para quem almeja casar com alguém da nacionalidade japonesa pode requerer o visto de cônjuge e ser liberado para trabalhar no país.

Quais são os tipos de trabalhos mais comuns para brasileiros?

Trabalhar no Japão: loja de conveniência Family Mart

A maior parte das vagas destinadas aos brasileiros está nas fábricas pela facilidade de encontrar trabalho na área. Contudo, existem outros setores que os japoneses contratam brasileiros.

Lojas de conveniência, mercados, restaurantes e outros comércios também contratam brasileiros. Se souber falar muito bem o inglês é melhor ainda, já que o país recebe muitos turistas do mundo todo.

Áreas como a engenharia, escritório, tecnologia da informação, bancos de investimento, professores de idiomas, vendas, recrutadores, atores, modelos e engenheiros de software também contratam bastante brasileiros.

Quais são as cidades com maior concentração de brasileiros?

Cidade de Shizuoka no Japão

O Itamaraty estima que existem em torno de 170 mil brasileiros no Japão. A maioria está concentrada em algumas regiões do país. Confira onde estão concentrados os brasileiros no Japão.

Aichi

A região de Aichi é onde estão localizadas as montadoras automobilísticas como Toyota, Daimler Chrysler, Volkswagen e Mitsubishi. São quase 55 mil brasileiros na região e a maior parte deles trabalham nestas fábricas e mora na cidade de Toyota.

Shizuoka

A província de Shizuoka possui um grande número de fábricas de autopeças. Todavia, a região faz sucesso por ser a maior produtora de chá-verde no país. Os brasileiros que estão por lá já somam 33,5 mil e estão localizados no ponto mais alto do Japão, mais precisamente na cidade de Hamamatsu.

Mie

Mie é a região repleta de belezas naturais como inúmeras cachoeiras. Além disso, a província conta com muitos templos que foram construídos a mais de 2 mil anos. As cidades de Suzuka, TsuI, Iga e Yokkaichi são as que recebem mais brasileiros, sendo ao todo quase 15 mil.

veja também:
Trabalhar nos EUA: veja dicas e conheça os vistos necessários

Gifu

Na província de Gifu a maior concentração de brasileiros está nas cidades de Kani, Ogaki e Minokamo. Atualmente, o número de brasileiros por lá alcança 13,3 mil que podem desfrutar de uma região com muitas montanhas, produção de saquê, artes em cerâmica e belíssimos resorts.

Gunma

A região de Gunma tem o privilégio de a maior montanha da região, o monte Akagi. Em torno de 13 mil brasileiros têm o privilégio de contemplar uma beleza exuberante. A maior parte deles está na cidade de Oizumi.

Kanagawa

Em torno de 10 mil brasileiros vivem entre as cidades Hiratsuka, Kawasaki e Yokohama que estão localizadas na província de Kanagawa. A província é bastante conhecida pela sua beleza arquitetônica que dá um ar mais moderno para o lugar. Além disso, é lá que está o maior porto do país que recebe a maior parte das embarcações internacionais.

Saitama

A província de Saitama possui uma vegetação exuberante e várias montanhas. Por isso, o lugar ficou conhecido como Província do Esplendor e já são mais de 9 mil brasileiros que podem desfrutar dessa beleza. Mas a maior concentração deles está na cidade de Honjo.

Shiga

As cidades de Koka, Higashiomi e Nagahama recebem os 8,7 mil brasileiros que vivem na região de Shiga. O maior lago do Japão chamado Lago Biwa está localizado nesta província que apresenta uma beleza inigualável.

Nagano

Cerca de 7,5 mil brasileiros se dividem entre as cidades de Iida, Matsumoto, Ina e Ueda que ficam localizadas na região de Nagano. A província é famosa por seus belos alpes que chegam a 3 mil metros de altura.

Ibaraki

A província de Ibaraki é a região litorânea do Japão com belas praias e paisagens indescritíveis. Em torno de 7,5 mil brasileiros vivem em cidades como Ushiku, Tsuchiura e Joso.

Quanto ganha um brasileiro no Japão?

Definir quanto ganha um brasileiro no Japão vai depender da região, do serviço, sexo, horário e província em que vive. Isso porque a variação é enorme entre uma cidade e outra e o salário é calculado por hora.

O valor mínimo do salário é de 600 ienes, mas pode chegar até 1500 ienes por hora. A carga horária para a maioria das funções é de 8 a 9 horas por dia e muitos optam em fazer hora extra para receber 25% a mais.

Portanto, se um brasileiro trabalha 8 horas por dia, ganhando 850 ienes por hora durante 22 dias, o seu salário será de 150.000 ienes dentro do mês. Convertendo esse valor para o real, a remuneração será mais de R$ 5.000,00.

Quais as regiões que pagam o melhor salário no Japão?

Bairro de Shibuya em Tóquio

Como citado anteriormente, o salário mínimo no Japão pode variar de região para região. No entanto, as prefeituras determinam um valor médio que deve ser pago pelas empresas. Veja como fica em cada província por hora.

  1. Tokyo – ¥932
  2. Kagawa – ¥930
  3. Osaka – ¥883
  4. Aichi – ¥845
  5. Saitama – ¥845
  6. Chiba – ¥842
  7. Kyoto – ¥831
  8. Hyogo – ¥819
  9. Shizuoka – ¥807
  10. Mie – ¥795

Quais as vantagens e desvantagens de trabalhar e morar no Japão?

Trabalhar no Japão e morar

Como em qualquer país do mundo, trabalhar e morar no Japão tem suas vantagens e desvantagens. Confira algumas delas.

Vantagens

1.   Segurança

O Japão é um dos países mais seguros do mundo. Por isso, você consegue andar na cidade sem muita preocupação.

2.   Bom uso do dinheiro público

Trabalhar diariamente sabendo que o imposto que você paga é realmente investido em ruas limpas, sinalizadas e sem buracos, é recompensador. Além disso, tudo o que você compra vem especificado o valor do imposto pago por aquele produto.

veja também:
Trabalhar no Canadá: vistos e trabalhos desempenhados pelos brasileiros

3.   Educação de qualidade

As escolas no Japão são de excelente qualidade e você pode ficar mais tranquilo em saber que seu filho está sendo bem educado.

4.   Serviços de qualidade

Independente se o serviço é público ou particular, todos são de ótima qualidade. Como a tecnologia no país é altamente avançada, os sistemas de internet, telefonia, transporte, entre outros, são muito eficientes.

5.   Vida saudável

O país é repleto de praças, jardins e muito verde. Dessa forma, é muito comum praticar esportes e curtir um momento de lazer em contato com a natureza.

Desvantagens

1.   Desastres naturais

Infelizmente, o Japão sofre muito com os desastres naturais. Terremotos, tufões e tsunamis são comuns no país e muitos deles acontecem com um alto poder de destruição. Isso pode deixar as pessoas apreensivas.

2.   Número alto de suicídio

O Japão possui uma das mais altas taxas de suicídio do mundo. Esse número evidencia ainda mais algumas questões culturais e sociais do país. Não é a toa que um dos livros mais vendidos na região é o Manual Completo do Suicídio.

3.   Bullying em escolas e empresas

Há inúmeros relatos de filhos de estrangeiros sofrerem bullying nas escolas japonesas e até em empresas onde tem um número grande de imigrantes. Isso causa enormes problemas psicológicos e até suicídio.

4.   Machismo

Em algumas partes do Japão as mulheres ganham menos do que os homens, mesmo executando tarefas similares.

5.   Estresse no trabalho

As longas jornadas de trabalho no Japão causa bastante estresse nos trabalhadores. Muitos deles estão se afastando por invalidez e ainda há registros de morte súbita e suicídio.

Quais são as agências / empreiteiras de emprego para trabalhar no Japão?

Muitas agências especializadas disponibilizam pacotes para quem pretende imigrar para o Japão. Dentro desse pacote a pessoa tem direito a um emprego, passagens aéreas, vistos e o certificado de elegibilidade.

Confira as principais agências de emprego no Japão:

TGKRH

A TGKRH é uma empresa que atua a mais de 20 anos no mercado. Entre seus clientes estão mais de 60 empreiteiras em todo território japonês. A agência ainda conta com vagas urgentes que possibilita o embarque imediato.

Itiban

A empresa Itiban possui escritório em várias cidades do Brasil. São mais de 28.000 vagas entre autopeças, eletrônicos e áreas alimentícias. Por isso, a agência é considerada uma das maiores no país.

Gema Empregos no Japão

Com mais de 30 mil clientes satisfeitos, a Gema Empregos no Japão é uma das agências mais antigas do Brasil. A empresa possui parceria com grandes empresas no Japão e facilita o embarque de brasileiros.

Se você achava complicado trabalhar no Japão, com este post algumas informações foram esclarecidas. Portanto, se você já se sente preparado, é hora de procurar uma agência para saber seus próximos passos.

Espanglish Traduções
Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução simultânea em japonês.
(41)3308-9498 / (41)99667-9498
atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Veja as diferenças entre a Escola brasileira e a japonesa

Japonesa conta diferenças da educação no Brasil e no Japão

Postado em 05/04/2012 10:40

Texto de Érika Tamura

Professor no Japão é uma profissão muito respeitada, e para os japoneses o professor é chamado de sensei, ou mestre em português, pois é considerado o sábio, o centrado e orientador das crianças. O Japão tem a exata noção de que o futuro do país depende das crianças, por isso a educação é muito valorizada, rigorosa, disciplinada.
E para que tudo isso dê certo na prática, são necessários professores competentes, que passaram por rigorosas seleções, que possuem um alto grau de conhecimento e em compensação são bem remunerados.


E no Brasil não preciso nem dizer como anda a educação… A impressão que dá é que o assunto educação não é prioridade, torna-se secundário em relação às Olimpíadas e Copa do Mundo de futebol!

Por isso, considero os professores brasileiros verdadeiros guerreiros, pois trabalham com amor à profissão, batalham com a falta de recursos e estruturas, sem contar o quesito salarial. Heróis! É a palavra ideal para defini-los.

Aqui no Japão, professores são admirados. Quando alguém diz que é professor, ganha a admiração de todos no ato. E no Brasil, quando falam que a sua profissão é a de professor, todos ficam com dó… É uma reação espontânea, que surge automaticamente.

Converso com vários professores universitários japoneses, e eles ficam admirados com o nível de conhecimento dos professores brasileiros, mas não entendem porque é tão difícil atingir educacionalmente 100% da população.

Os japoneses não entendem porque ainda tem um número muito alto de analfabetismo no Brasil. Ficam indignados quando falo que muitas crianças abandonam a escola para trabalhar e assim ajudar no sustento da família. E mesmo assim, quando tornam-se profissionais da educação, possuem currículos invejáveis e uma postura profissional ímpar.

Ninguém vai entender se não morar no Brasil.
Deu para perceber que o Brasil tem excelentes professores mas não os valoriza. Entendi também que a necessidade de investimento e cuidado com a educação do povo brasileiro é uma necessidade primordial, e que deveria estar acima de todas as outras.

Quando conversei com o senhor Osamu Iida, ex-presidente da Honda no Brasil, ele mesmo cantou a bola: “o Brasil é um ótimo país, deixou de ser subdesenvolvido há muito tempo, só falta melhorar um item para ser perfeito e continuar crescendo, é melhorar a estrutura educacional das crianças!”. Claro! Afinal, se melhorasse esse item, os benefícios viriam como consequência e a violência cairia e muito.

E na minha opinião o início de tudo seria na valorização do professor. E é um passo tão pequeno, mas tão significativo!

Professores, tanto no Brasil como no Japão, são pessoas que amam o que fazem porque senão não aguentariam o tranco, admiro muito quem tem esse dom, pois eu defino como um dom, a arte de ensinar uma criança. Carga horárias puxadas, folgas sacrificadas, refeições puladas… essa é a rotina do professor brasileiro, japonês, mundial! Por isso admiro tanto essa profissão.

Muitos falam que é difícil tornar-se um médico competente, ou um advogado consagrado, mas se não fosse pelo professor nenhuma dessas profissões seriam desenvolvidas com tamanha maestria e competência.
Por isso que no Japão o professor é reverenciado como um mestre sábio e está num patamar acima de todas as outras profissões.

Fonte: https: //www.sistemampa.com.br/bom-dia-divinopolis/japonesa-conta-diferencas-da-educacao-no-brasil-e-no-japao/

 

Espanglish Traduções

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução simultânea em japonês.

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Eletrônicosjaponeses

Modelo japonês de administração

Na metade do século passado surgiu no Japão um novo modelo de gestão que propunha melhorar as técnicas e preposições ocidentais. Este novo modelo se desenvolveu sobre o Sistema Toyota de Produção que com a difusão de suas ideias tornou-se um dos principais pilares que sustentam a competitividade da economia global.

Esse novo sistema de produção foi criado por Eiji Toyoda e Taiiichi Ohno baseia-se no trabalho dos pioneiros da administração como Frederick Taylor e Henry Ford e na cultura japonesa.

Os principais princípios deste modelo são a eliminação de desperdícios, produção flexível e a fabricação com qualidade. Para que esse novo sistema tivesse êxito era preciso promover uma administração participativa que se promove a participação dos funcionários no processo decisório.

O Sistema Toyota de Produção foi concebido quando Eiji Toyoda e Taiiichi Ohno visitaram a Ford nos Estados Unidos e concluíram que o modelo de produção continua da Ford era na realidade um modelo que pregava o desperdício de recursos materiais, espaço, tempo e esforço humano. Os visitantes observaram que existiam fábricas gigantescas, muito material em estoque, espaços vazios e pessoas com tarefas limitadas.

O Sistema Toyota de Produção tem como elemento básico o sistema de produção elaborado por Ford porem os japoneses o tornaram mais racional e econômico e para isso o foco passou a ser a eliminação do desperdício, ou seja, eliminar tudo aquilo que não agrega valor ao produto. Por esse motivo esse tipo de sistema de produção é conhecido como “Sistema Enxuto”

As principais ideias usadas neste sistema de produção para eliminar desperdícios são

  1. Racionalização da força de trabalho. Para que o trabalho seja racionalizado é preciso que se trabalhe em equipe. O líder deve trabalhar com a equipe ao mesmo tempo que coordena o grupo e a equipe tem a tarefa de fazer pequenas manutenções em equipamentos, consertos de baixa complexidade e devem auxiliar no controle de qualidade.
  2. Just in time. O método Just in time (bem na hora) procura reduzir ao mínimo os estoques e tem como objetivo fazer com os materiais sejam empregados no momento exato em que vão ser utilizados na linha de produção.
  3. É um sistema que utiliza um cartão chamado de Kanban para registrar a movimentação de materiais onde cada entrega é registrada nesse cartão permitindo assim controlar itens de acordo com que vão sendo consumidos, fazendo com que não haja abastecimento de materiais antes do tempo necessário e nem acúmulos de estoques.
  4. Produção flexível. Este sistema de produção permite que os produtos sejam feitos em pequenos lotes alterando para isso os moldes que são colocados nas máquinas de produção. Para se ter uma ideia a Toyota treinou seus funcionários para que eles efetuem essa troca em apena 3 minutos.

Uma das principais características deste modelo de gestão é a fabricação com qualidade. Os pilares fundamentais do Sistema Toyota é que todo trabalhador deve fazer certo da primeira vez, identificar e corrigir os erros em suas causas fundamentais, sendo que o trabalhador tem o poder de interromper a linha de produção caso ele encontre um problema que não consiga resolver. Caso a parada da produção seja necessária cada erro deve ser analisado até se chegar a sua causa raiz. Um método interessante que é utilizado para essa análise é perguntar sucessivamente “ por quê? ” até se chegar a causa fundamental  do problema ou a Causa Raiz , essa técnica é chamada de “ 5 Whys” e visa encontrar uma contramedida para corrigir um problema.

Outra característica desse sistema é que existe nas empresas que adotam esse sistema a ideia de Círculos de Controle de Qualidade (CCQ) que são grupos compostos por trabalhadores que se reúnem para estudar e propor soluções de problemas que estejam comprometendo a qualidade e eficiência dos produtos. Esses círculos são entendidos também como uma técnica de gestão participativa.

O modelo japonês se tornou importante quando o mundo ocidental percebeu que os japoneses estavam ganhando mercado por oferecer produtos mais baratos e com maior qualidade. Na verdade, a receita é simples, eliminação de desperdício e trabalho em grupo.

Fonte: http://www.falandodegestao.com.br/o-modelo-japones-de-administracao/

Espanglish Traduções

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução simultânea em japonês.

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

 

Como são feitas as legendas de filmes e séries?

Traduzir o roteiro é só o começo: há diversas adaptações necessárias, tanto técnicas quanto culturais, e tudo é revisado com afinco

Elas são encomendadas pelas distribuidoras a empresas especializadas (que possuem times de tradutores freelancers) ou então diretamente a esses profissionais. Embora existam muitos estúdios de tradução e legendagem (e que às vezes também fazem dublagem), o aumento da produção de conteúdos e a variedade de mídias (TV, Blu-ray, cinema, streaming…) tem feito os canais e as produtoras preferirem cada vez mais gerenciar a produção de legendas via plataformas online, sem precisar contratar estúdio. Os profissionais passam por testes de capacidade que avaliam sua experiência, seu conhecimento em línguas e, principalmente, sua carga cultural na língua que será traduzida. Diploma pode ajudar, mas não é obrigatório. Em média, por mês, cada produtora é responsável pela tradução de 15 séries de TV e mais de 200 horas de filmes.

1. Quando a produtora recebe o pedido de legendagem, começa o processo de seleção dos profissionais que farão a versão brasileira. Cada produto possui um determinado perfil de tradutor: além de experiência e conhecimento nas línguas, a afinidade do candidato com o tema do material e seu repertório são decisivos para garantir um bom trabalho de tradução

2. O material recebido pela produtora é assistido de cabo a rabo para determinar os pontos de entrada e saída de cada legenda (timing). Existe um profissional específico, o marcador, para esse trabalho. Ele informa ao software a posição e o momento exatos em que cada legenda deve aparecer e desaparecer

3. Geralmente o tradutor tem acesso ao material audiovisual e ao seu roteiro para garantir uma tradução fiel. Em alguns casos, como nas séries House e Law & Order, a produtora consulta médicos e advogados para traduzir termos técnicos usados na série. É comum que os tradutores conversem com fãs-clubes para acertar o tom dos diálogos ou tenham um glossário de termos técnicos para determinadas séries

4. A tradução deve sempre ser fiel ao roteiro e passa por diversas adequações: para que a legenda seja legível, há um limite de caracteres por linha (CPL) e por segundo (CPS) em cada mídia. Exemplo: Game of Thrones tem limite de 32 CPL na TV e até 42 no Blu-ray. São regras diferentes para mídias distintas e a HBO encomenda as duas legendas. Termos gringos são regionalizados, marcas e merchandising nos diálogos são anulados e os palavrões são amenizados. Mas há distribuidoras que pedem que o conteúdo impróprio seja mantido para não descaracterizar o material

5. O prazo para produção das legendas varia entre 5 e 7 dias, dependendo do produto. Em casos extremos, o tradutor tem só dois dias. Nos blockbusters e nas séries exibidas em paralelo no Brasil e nos EUA (simulcast), como Game of Thrones, alguns estúdios fazem uma tradução às cegas, usando só os roteiros enviados pela distribuidora, sem assistir ao episódio ou filme

6. Quando a produtora faz as legendas para um filme ou série, ela cede os direitos de exibição apenas para quem a contratou. Por essa razão, é comum que filmes e séries sejam relegendados e até redublados, pois é muito mais barato (e menos burocrático) refazer tudo do que comprar os direitos de exibição da legenda de outro canal

Fonte: https://mundoestranho.abril.com.br/cinema-e-tv/como-sao-feitas-as-legendas-de-filmes-e-series/

Espanglish Traduções oferece os seus serviços de tradução de vídeos – legendagem.

Está apta a fazer legendagem para todo tipo de meios audiovisuais

  • Programas de televisão
  • Filmes
  • Vídeos institucionais
  • Corporativos
  • Educacionais
  • Documentários
  • Publicidade

O processo de tradução:

É fundamental que as informações contidas em seus vídeos sejam traduzidas para o Inglês, Português, Espanhol (ou a língua requerida) utilizando o idioma específico de seu mercado, sem erros em traduções literais que muitas vezes podem ser vistos até em grandes filmes de Hollywood. Legendar filmes é uma combinação de software de legendagem e tradutores experientes com amplo conhecimento linguístico e cultural.

Espanglish Traduções garante o sucesso nos seus vídeos por meio dos seus serviços de legendagem e tradução.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br