Setor de eventos de Joinville movimentou R$ 180 milhões em 2018

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução Simultânea em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Em 2018, setor de eventos cresceu 18% e movimentou pelo menos R$ 180 milhões em Joinville, segundo estimativa da Expoville

O setor de eventos cresceu 18% em 2018, em Joinville, considerando os resultados alcançados pelo Centro de Convenções e Exposições Expoville, maior do gênero no Sul do Brasil e principal endereço de eventos organizados no município. O balanço ficou acima da alta de 15% registrada no primeiro semestre e superou as expectativas do Complexo, conforme aponta o diretor comercial Luciano Coradi. Em impacto financeiro, os dígitos chegam a R$ 180 milhões.

A alta tem relação com o aquecimento no número de ações e do próprio turismo de eventos em expansão na cidade no último semestre. Foram contabilizados 205 congressos, feiras e celebrações na Expoville nos doze meses do ano. O mercado aquecido teve ainda contribuição das próprias ações realizadas no município, que tiveram maior investimento em estrutura.

— O crescimento de 2018 tende a se repetir em 2019, temos confiança de que será um ano bom porque o setor continua em recuperação pós-crise — analisa Coradi.

Com base em estudos realizados por instituições do setor, referente ao gasto médio de turistas de negócios e eventos no País, de cerca de R$350 por pessoa, por dia, a entidade estima que somente os eventos do segmento de encontros, conferências e palestras, tenham gerado reflexo de cerca de R$ 180 milhões para Joinville no ano – ao menos R$ 20 milhões superior ao saldo de 2017.

Pisar em ovos

A partir deste ano, vale lembrar que o consumidor deve aumentar a cautela se cogitar desistir da compra de um imóvel negociado na planta. Pelo norma o distrato imobiliário, esses clientes terão de pagar até metade do valor já repassado à construtora, como penalidade para desfazer o negócio. Antes, nos casos julgados pela Justiça, a cobrança por desistência costumava varia de 10% a 25% do valor pago. A medida é válida desde a sanção do agora ex-presidente Michel Temer, em assinatura ocorrida na semana passada.

Saneamento

Publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira (28), passou a valer a Medida Provisória 868/2018, que altera o marco legal do saneamento básico no País. Com a MP, a Agência Nacional de Águas (ANA), passa não só a gerenciar os recursos hídricos, mas também a regular a prestação dos serviços públicos de saneamento básico – antes essa era uma atribuição dos municípios.

Para Percy Soares Neto, diretor de relações institucionais da Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto (ABCON), a medida surge como oportunidade de entrada para novos investimentos no setor com participação da iniciativa privada, podendo promover a inclusão de 100 milhões de Brasileiros que hoje não têm acesso a coleta e tratamento de esgoto, além de 35 milhões que não contam com acesso à água tratada.

Desdobramentos

Por outro lado, a aprovação da MP 868 demorou a sair como aponta a Agência Brasil, devido a discussão da possibilidade de a proposta facilitar “a privatização de empresas públicas de saneamento e obrigar o pagamento de tarifas mesmo sem conexão ao serviço de água e esgoto”. Governadores também mobilizados consideraram ainda “risco de desestruturação e de piora das condições fiscais dos governos estaduais, além de agravar as desigualdades”. Isto porque, acarreta no fim do ‘subsídio cruzado’ que permite que recursos arrecadados com as tarifas de água e esgoto em áreas mais desenvolvidas sejam investidos nas áreas mais vulneráveis.

Saúde

Balanço da pasta da Saúde no Estado, considerando os últimos dez meses, mostra aumento no número de cirurgias eletivas e a melhora do estoques de medicamentos em Santa Catarina, este último passando de 36% para 90%. Houve ainda o empenho de todas as despesas da secretaria, com regularização da dívida do setor. O então secretário, XXX, apontou também que mais de 85% dos catarinenses são atendidos em suas regiões de origem. No Norte, esse índice chega a 97,17%.

fonte: https://www.nsctotal.com.br/colunistas/loetz/setor-de-eventos-de-joinville-movimentou-r-180-milhoes-em-2018

Abertura 80ª Festa das Flores terá apresentação da Escola Bolshoi e presença de ministro

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução de Hebraico em Joinville

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

O evento ocorre de 13 a 18 de novembro, na Expoville, em Joinville

Na próxima terça-feira, 13 de novembro, Joinville será contagiada pelas cores, formas e beleza da sua 80ª Festa das Flores. A solenidade oficial de abertura da 80ª Festa das Flores ocorre às 20 horas, no palco do pavilhão Nilson Bender, na Expoville, com a presença do patrono do evento, o ministro do Turismo Vinicius Lummertz, que virá a Joinville especialmente para a ocasião.

Outro momento especial da noite, será a participação da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Os alunos apresentarão um conjunto de coreografias diversificadas que fazem parte do repertório da instituição.

No espetáculo, o público poderá viver diferentes sensações com a mistura de ritmos contagiantes, como o de dança folclórica e trechos de renomados balés de repertório, como o vibrante “Chamas de Paris”, o intenso “Águas Primaveris” e o vigoroso “Gopak”.

Abertura ao público

Às 14 horas, os pavilhões da Expoville recebem o público com a exposição com milhares de orquídeas, flores, plantas ornamentais, árvores exóticas, ambientadas em cenários que reproduzem elementos da natureza como lagos, quedas d’água e a exuberante Cascata do Piraí.

Já na abertura do evento, os visitantes conhecerão as plantas campeãs da edição. Ao todo, trinta plantas são premiadas, em dezenove grupos: Laelia purpurataMicro-orquídeas, Outras espécies de Laelias Cattleyas, Espécies botânicas, Híbridos de Catteyas Primário/Naturais, Híbridos de Cattleyas, Híbridos de Cattleyas Miniaturas, Phalaenopsis e afins, Vanda e afins, DendrobiumOncidium/Miltonia/Aliança só híbridos, Bromélias com flor, Bromélias sem flor, Plantas ornamentais, Anthurium e afins, Cactos, Suculentas, Dyckias e Bonsais. São concedidos, também, os prêmios Destaque Especial e Mérito de Cultivo.

A 80ª Festa das Flores é uma realização da Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult) e da Agremiação Joinvilense dos Amadores de Orquídeas – AJAO.

fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/joinville/noticia/2018/11/abertura-80-festa-das-flores-tera-apresentacao-da-escola-bolshoi-e-presenca-de-ministro-10640435.html

Festival em Joinville Sobre Diversidade Cultural

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Intérprete Holandês em Joinville.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

O Museu de Imigração e Colonização receberá um Festival em Joinville no próximo domingo (11), de 11 as 18 horas. Será o Festival do Museu Nacional da Imigração e Colonização (MNIC). Com o objetivo tanto de promover integração entre diversos grupos quanto de trazer a diversidade até as comunidades de Joinville.

Realizado pela Prefeitura da cidade , através da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). Será mais uma oportunidade que a população terá de lazer e cultura.

Programação do Festival em Joinville

Como parte da programação, o festival será composto de várias atrações como música, teatro e artesanato. Além de dança, cinema e gastronomia.

Veja também 80ª Festa das Flores em Joinville 

Os temas serão baseados na cultura de diversos povos. Sendo assim, acrescentará conhecimento ao público que participar do evento. Não somente da cultura italiana, japonesa, árabe, mas também dos haitianos, senegaleses, franceses e alemães.

Museu de Imigração e Colonização receberá Festival em JoinvilleMuseu de Imigração e Colonização receberá Festival em Joinville – Casa de Doda

Para a coordenadora do Museu, Renata Cittadin, o público terá uma nova experiência:

“Será uma nova experiência para o público que poderá entender a imigração não como um fenômeno que aconteceu apenas no século XIX, com a vinda dos europeus, mas como um processo recorrente. ”

A programação da parte da manhã contará com poemas e apresentações musicais de diversos grupos como: Associação de Imigrantes Haitianos de Joinville, Movimento Negro Maria Laura. E também do Joinville Quartett e WuChi Escola de Tai Chi.

À tarde, as atrações serão por conta dos musicais, teatro e dança. Não só com o grupos Aliança Francesa de Joinville, Coral Ítalo-brasileiro do Circolo Italiano de Joinville e Aliança Cultural Brasil-Japão de Joinville.

Mas também, dos Bandoneonistas de Joinville, Grupo Folclórico Germânico Oldenburg e ainda Baque Mulher Joinville.

Por fim, terá as apresentação do Projeto Imigrante Cidadão – Católica de Santa Catarina / ADIPROS, Kyanite e Crossing Hearthstone e  Casa Vó Joaquina

Tanto a entrada quanto a participação nas atividades serão gratuitas. Contudo, na área de gastronomia serão vendidos diversos tipos de comidas típicas.

fonte: http://noticiasefatos.com.br/festival-em-joinville-sobre-diversidade-cultural/

BOGOTÁ – COLÔMBIA

Assista esse vídeo que mostra um pouco da capital da Colombia (Bogotá):

canal: Viaje Comigo

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradutor Nativo de Espanhol em Joinville.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

AJAO lança 80ª Festa das Flores de Joinville

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Equipamento de Tradução Simultânea Locação em Joinville.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

A Agremiação Joinvilense dos Amadores de Orquídeas (AJAO) lançou, em 23/10/2018, a 80ª Festa das Flores de Joinville.

A cerimônia contou com a presença de profissionais da imprensa, representantes do trade turístico, orquidófilos e convidados. O evento foi realizado na sede da AJAO. Um dos destaques foi a apresentação do projeto paisagístico do evento, assinado pelo arquiteto Silvio Parucker. Para dar vida ao tema deste ano, “O Maravilhoso Mundos das Flores – 80 Anos de História”, Parucker criou uma exposição que promete surpreender e encantar o público.

“As orquídeas e flores estarão ambientadas em cenários com sons da natureza, efeitos de neblina, bambus, árvores cenográficas e outros elementos. O circuito a ser percorrido terá desníveis, subidas e descidas estrategicamente planejadas para que o visitante se surpreenda em cada ambiente. E como grande destaque da exposição, a reprodução de um dos lugares mais bonitos e preservados de Joinville: a cachoeira do Piraí”, diz o arquiteto.

Além de conquistar o público por sua beleza e grandiosidade, a 80ª Festa das Flores estará em evidência nacional com a deferência prestada ao ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, homenageado como patrono do evento deste ano. Para o secretário de Cultura e Turismo de Joinville, Raulino Esbiteskoski, a solenidade de abertura da 80ª Festa das Flores, em 13/11/2018, vai celebrar o início de um evento marcante para a cidade, com a presença de autoridades e o brilho especial da Escola do Ballet Bolshoi do Brasil, que fará apresentação especial.

A edição 2017 das Festa das Flores foi um grande sucesso

“Temos orgulho de realizar, junto com a AJAO, um evento dessa magnitude. É um trabalho construído há anos, que conquistou solidez e credibilidade. E estamos certos de que esta edição da Festa das Flores vai marcar a história de Joinville”, afirma Esbiteskoski.

O presidente da AJAO, James Hasselmann, destacou a importância da Festa das Flores para a tradição da orquidofilia de Joinville e a dimensão que o evento alcançou ao longo dos anos. “Somos a mais antiga e maior exposição de flores do Brasil, exibindo ao público mais de cinco mil orquídeas e outras 25 mil flores e plantas ornamentais de diversas espécies, cores e formas”, disse.

A programação e outras informações sobre a 80ª Festa das Flores estão disponíveis em http://www.festadasflores.com.br/. A Festa das Flores é realizada pela Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, e pela Agremiação Joinvilense dos Amadores de Orquídeas (AJAO).

fonte: https://clickgloria.com.br/ajao-lanca-80a-festa-das-flores-de-joinville/

Veja como foi o 26º Festival Escolar de Dança de Joinville

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução Científica de Engenharia em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

A arte do movimento voltou a ficar em evidência neste sábado (20), em Joinville. Cerca de 650 alunos de escolas públicas e particulares de Joinville participaram do 26º Festival Escolar de Dança, no Teatro Juarez Machado. O evento é realizado pela Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo.

O espetáculo foi dividido em suas sessões. A primeira, às 10 horas, com a participação das categorias B (Ensino Fundamental I, 1º ao 5º ano) e D (Ensino Médio, 1º ao 3º ano). Às 14 horas, foi a vez dos alunos da categoria C (Ensino Fundamental II, 6º ao 9º ano) subiram ao palco.

Ao todo foram apresentadas quarenta coreografias de Jazz, Danças Urbanas, Danças Populares, Ballet Clássico e Livre, executadas por crianças e adolescentes com idade entre 6 e 18 anos.

Feira do Livro de Joinville vai homenagear Portugal

 Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução de Contrato Social e Estatuto Social em Joinville na língua portuguesa.

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Em dezembro, se completarão 20 anos que José Saramago tornou-se o primeiro escritor da língua portuguesa a ganhar o Nobel de literatura. Deu, assim, um acréscimo de orgulho a 250 milhões de pessoas de novo países que adotam o português como idioma oficial. Entre eles está o Brasil, cujos laços com Portugal serão renovados na Feira do Livro de Joinville 2019, lançada oficialmente na quarta-feira (26).

As tradições e a cultural lusitanas, especialmente na área literária, terão espaço privilegiado na 16ª edição do evento, marcada para de 7 a 16 de junho do ano que vem, novamente no Expocentro Edmundo Dobrawa e adjacências. Com Portugal como país homenageado, espera-se uma aproximação dos leitores com os nossos irmãos do outro lado do Atlântico.

– Vamos reatar e reforçar os fios da nossa história, especialmente no que tange ao idioma – descreveu Sueli Brandão (foto abaixo), presidente do Instituto da Cultura e Educação e organizadora da feira.

Mas essa conexão com a cultura lusitana não será a única a vigorar na próxima edição. O tema escolhido, “Aproximando Corações”, será um esforço para resgatar, por meio da literatura, o público adolescente e reverter um quadro crescente de evasão escolar no ensino médio brasileiro. Tanto quanto isso, será uma tentativa de estancar as notas baixíssimas na redação do Enem, causadas principalmente pela falta de leitura.

– Nossos convidados serão encantadores da literatura para crianças e jovens – reforçou Sueli.

O evento de lançamento serviu como uma grande convocatória para a construção coletiva da programação da feira de 2019, algo já em pleno processo. Segundo Sueli, conversas com vários segmentos da sociedade joinvilense estão em andamento para colher sugestões de convidados e atividades que possam figurar na grade.

fonte: https://ocp.news/cultura/feira-do-livro-de-joinville-vai-homenagear-portugal

Joinville é destino de qualidade para viagem de final de ano

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução de Documentos Técnicos em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Quem vai viajar durante as férias de fim de ano já tem que começar a se planejar. Em Joinville, por exemplo, existem passeios bacanas que podem ser realizados em apenas um dia: isso é ótimo para quem está só de passagem, quer conhecer a cidade e não tem muito tempo de sobra. São atrações culturais, gastronômicas, ecológicas e até de aventura com valores acessíveis e, algumas, gratuitas.

O primeiro lugar é o Parque Expoville Atividades, passeio ideal para ser realizado com família e amigos. São mais de 150 mil m² de área com árvores e lagoas. O local possui mais de dez atividades com valores acessíveis, a partir de R$ 7, além de atrações gratuitas. No local estão disponíveis brinquedos infláveis, futebol de sabão, tobogã e camas elásticas, além de aluguel de bicicletas, carrinhos de rolimã elétricos e minibugues.

Dentro do parque, existe o tradicional cartão-postal da cidade, o Moinho XV de Novembro. Desde 2014, após ser revitalizado, funciona no local o restaurante da Opa Bier, que oferece hambúrgueres com receitas autorais, porções e pratos da culinária alemã, além de chopes e cervejas artesanais produzidas em Joinville.

O Mirante de Joinville também é uma opção. Trata-se de uma estrutura de 14,5 metros localizado no Morro da Boa Vista. Do local é possível ter vista de 360° da cidade. São 600 metros de extensão. Na região do Piraí, dá para encontrar montanhas, cachoeiras, rios e vastos arrozais. A última dica é o Parque Zoobotânico, no Morro do Boa Vista, que tem trilha ecológica e exposição de 160 animais.

fonte: https://metronews.com.br/turismo/joinville-e-destino-de-qualidade-para-viagem-de-final-de-ano

15 lugares incríveis que fazem os joinvilenses se orgulharem da cidade

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução Simultânea em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Que Joinville é uma cidade maravilhosa todo mundo já sabe, mas você já visitou todos os locais de tirarem o fôlego que existem no município?

Sendo a cidade mais populosa de Santa Catarina, Joinville é um dos principais destinos para quem quer conhecer um pouco mais sobre a cultura, arquitetura e culinária alemã.

Leia mais: 10 lugares incríveis para tomar café em Joinville

Separamos aqui alguns dos principais pontos turísticos que você não pode deixar de conhecer, e se já conhece, aproveitar pra dar mais uma passada por lá. Aposto que vai se surpreender novamente.

1. Baía Babitonga

A Babitonga é a maior baía navegável do Estado de Santa Catarina, com 24 ilhas.

Lá é possível passear de balsa para contemplar a paisagem que esse lugar maravilhoso oferece.

Foto Divulgação/Internet

Os turistas também podem apreciar um passeio de barco que passa por 14 ilhas e aproveitar a parada de 1h30 no Centro Histórico de São Francisco do Sul.

2. Escola do Teatro Bolshoi (Festival de Dança)

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil foi inaugurada em março de 2000 e é a única filial do famoso Teatro da Rússia.

Quem tiver interesse em conhecer basta agendar por telefone. O tour é guiado e mostra a estrutura do lugar, além de contar um pouco da história dos alunos e professores.

Foto Nilson Bastian/Divulgação

Para quem visita a cidade em julho ainda pode conferir o festival de dança que acontece na cidade todos os anos, atraindo muitos turistas e profissionais da área.

Funcionamento: 

  • Endereço: Av. José Vieira, 315 (Centreventos Cau Hansen)
  • Horários: Diariamente às 10h e 14h30
  • Agendamento: (47) 3422-4070
  • Preço: R$ 10
  • Mais informações: Site oficial

3. Estação da Memória

O edifício que abriga um dos pontos mais visitados da cidade foi construído em 1906 e funcionou como estação ferroviária de Joinville. O prédio foi tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 2008, tornando-se patrimônio arquitetônico brasileiro.

O prédio da estação esteve totalmente abandonado, servindo como moradia de mendigos, traficantes, pombos e cupins por muito anos, mas foi restaurada em 2007 mantendo todos os detalhes da época que foi construída.

Foto Divulgação/Arquivo histórico de Joinville

Além da arquitetura que chama a atenção dos turistas, contando a história do local através dos trilhos e dos objetos de época, o local conta ainda com um auditório para a exibição de filmes, bares, cafeterias, lojas e área de exposição, o Museu do Ferro de Passar e ao seu lado, o armazém de cargas, construído em 1947, abriga o Museu da Bicicleta.

Funcionamento:

  • Localização: Rua Leite Ribeiro, s/nº (antiga Estação Ferroviária) – Anita Garibaldi – Joinville – SC
  • Horário de visitação: terça a domingo, 10h às 16h
  • Para mais informações: (47) 3422-5222 | estacao@joinville.sc.gov.br
  • Entrada gratuita

4. Estrada bonita

A estrada bonita foi fundada em 1885 por imigrantes que trabalhavam na construção da estrada de ferro de Paranaguá e vieram para a região instalar linhas de telégrafo. As famílias vivem até hoje no local, preservando a cultura da época.

Foto Divulgação/Internet

O ponto turístico está localizado no Distrito Pirabeiraba, às margens da BR-101 e atrai turistas que buscam apreciar belezas naturais ou conhecer um pouco mais a região que lembra um vale de colonizadores alemães, principalmente por sua arquitetura característica e seus produtos coloniais.

Também é possível passear por algumas propriedades, tomar banho nas águas que descem as montanhas e visitar o museu rural.

Funcionamento:

  • Endereço: Estrada Bonita, Rio Bonito – Pirabeiraba
  • Horário de funcionamento: Sempre aberto
  • Para mais informações: (47) 3646-1271 | estradabonita.com.br

5. Mirante

A estrutura encontra-se no ponto mais alto do Morro da Boa Vista, na região central de Joinville. Com quase 250 metros de altura, é possível visualizar quase todos os bairros da cidade e ainda apreciar a linda paisagem da Baía da Babitonga.

Foto Divulgação/Esse mundo é nosso

Quem visita o local ainda pode percorrer uma trilha em meio a Mata Atlântica.

Funcionamento:

Endereço: R. Pastor Guilherme Rau – Saguaçu
Horários: Diariamente, das 7h às 19h
Entrada: Gratuita

6. Morro do Finder

Um dos locais mais visitados pelos amantes das paisagens naturais, o local conta com aproximadamente 50 mil metros quadrados de área de preservação de espécies ameaçadas de extinção, algumas nascentes e uma bela paisagem com vista panorâmica para Baía Babitonga.

Foto Divulgação/Wikiparques

O visitante pode chegar ao local a pé ou de bicicleta, onde encontrará trilhas, grutas, nascentes e lagos.

Funcionamento:

  • Morro do Iririú, Bairro Iririú.

7. Museu Arqueológico do Sambaqui 

É considerado referência em preservação do patrimônio arqueológico brasileiro e na produção de conhecimentos sobre povos construtores de sambaquis, que viveram na região a mais de 5 mil anos.

O museu foi criado em 1969, mas o prédio que hoje é sede do museu foi inaugurado em 1972 com cerca de 45 mil artefatos que evidenciam a cultura e o estilo de vida do povo sambaquiano.

Foto Divulgação/Internet

Entre as peças estão ossos dos indivíduos, pontas de flechas esculpidas em quartzo, animais esculpidos em pedras, utensílios e ferramentas de fibras vegetais trançadas a mais de 3 mil anos.

Funcionamento:

  • Localização: Rua Dona Francisca, 600 – Centro – Joinville – SC
  • Horário aberto ao público: terça a domingo, 10h às 16h
  • Para mais informações: (47) 3433-0114 | sambaqui.adm@gmail.com
  • Entrada gratuita

8. Museu da Imigração e colonização

O museu guarda objetos e documentos relacionados ao processo histórico de imigração e colonização do sul do país. O prédio foi projetado em 1870 para servir como administração da Colônia Dona Francisca e foi tombado pelo Iphan em 1939.

Foto Divulgação/Solotudo

O local é dividido em quatro espaços de exposição:

  •  O Casarão principal, antiga residência e sede da Colônia Dona Francisca foi construído em 1870. Com mais de 850 m², o prédio conta com exposições nos três pisos, onde o visitante pode conferir um pouco da arquitetura e decoração utilizados na época.
  • O Galpão de Tecnologia Patrimonial foi construído em 1963 e possui aproximadamente 280 m². Apresenta maquinários de trabalho dos imigrantes germânicos e também dos luso-brasileiros e açorianos que viviam na região de Joinville.
  • O Galpão de Transportes foi construído em 2006, possui mais de 250 m² contém vários meios de transporte usados na região. Conta com carroças usadas na segunda metade do século XIX e outras que circularam até a década de 1970.
  • O último espaço pertence a administração, antigo escritório do representante dos Príncipes e, mais tarde, dos Procuradores de seus herdeiros. Contém área de 66 m² e foi inaugurado em 1907.

Funcionamento: 

  • Localização: Rua Rio Branco, 229 – Centro – 89201-080, Joinville – SC
  • Para mais informações: (47) 3422-2154 | arquivohistorico@joinville.sc.gov.br
  • Entrada gratuita

9. Museu de arte de Joinville 

O museu de Arte de Joinville foi inaugurado em 1976 para abrigar exposições e manifestações de artistas da cidade, conta com aproximadamente mil obras de colaboradores locais, estaduais, nacionais e internacionais.

A construção tem mais de 150 anos e foi tombada como patrimônio histórico, sendo uma das mais antigas de alvenaria em Joinville.

Foto Divulgação/Secretaria de Turismo de SC

Antigamente a casa pertencia ao imigrante alemão Ottokar Doerffel, primeiro prefeito de Joinville e criador do primeiro jornal da cidade, na segunda metade do século XIX.

Funcionamento:

  • Localização: Rua XV de Novembro, 1400 – América, Joinville – SC
  • Horário de visitação: terça a domingo, 10h as 16h
  • Para mais informações: (47) 3433-4677 | maj@joinville.sc.gov.br
  • Entrada gratuita

10. Parque da Caieira

O parque tem como objetivo principal a preservação e conservação do patrimônio cultural e natural, mas isso não quer dizer que você não possa apreciar o local.

Foto Divulgação/Curta Joinville

Localizado no bairro Adhemar Garcia, às margens da Lagoa do Saguaçu e com aproximadamente 1,27 km², o parque oferece trilhas ecológicas realizadas nas terças-feiras, mediante agendamento.

Funcionamento:

  • Aberto todos os dias, 7h às 19h.
  • Telefone: (47) 3454-9018

11. Parque Porta do Mar

Inaugurado em junho de 2014, o parque está localizado à margem da Lagoa do Saguaçu. O destaque do local é o Trapiche com 126 metros de extensão, a estrutura conta com uma parte fixa e outra flutuante para possibilitar a atracação de embarcações.

Foto Divulgação/Teu mundo, nosso mundo

Além disso, o equipamento conta com duas praças, uma delas com deck para o visitante apreciar a vista e outra com equipamentos de ginástica.

12. Parque zoobotânico

Anexo ao mirante, o parque foi inaugurado em 1995 após uma reivindicação dos moradores e conta com uma área de 17 mil m².

Foto Divulgação/Mapio net

O parque traz a fauna e a flora da Mata atlântica e atualmente estão no local mais de 200 animais de espécies diferentes, além de conter uma área para recreação infantil, trilhas, quiosques e auditório para eventos.

Funcionamento:

  • De terça a domingo, das 9 às 18 horas
  • Rua Pastor Guilherme Rau, 462 – Saguaçu
  • Fone: (47) 3431-5016

13. Pórtico 

O Pórtico do Joinville é outro importante cartão-postal da cidade e recebe muitos turistas. O local é a principal entrada do município e foi construído em estilo enxaimel, influenciado pelas culturas alemã e holandesa.

Foto Divulgação/Viagens e caminhos

O local foi inaugurado em 1979, durante uma das edições da Festa das Flores. Ao lado do pórtico os visitantes podem conhecer o moinho, onde funciona um restaurante e a choperia Opa Bier. O local também é a sede da Secretaria Municipal de Turismo.

14. Praia da Vigorelli

É parte da Baía Babitonga e acessível apenas por estrada de chão, a Praia da Vigorelli não é como as outras, a água é classificada como imprópria para banho, por isso quem quiser visitar precisa se contentar em apenas apreciar a vista e aproveitar os restaurantes em seu entorno.

Foto Divulgação/Internet

Além de curtir a brisa do mar, também é possível fazer passeios de barco ou balsa por lá. A balsa, faz a travessia da cidade de Joinville até a Vila da Glória em São Francisco do Sul.

Funcionamento: 

  • Endereço: Estrada João de Souza Mello e Alvim, s/n° – Vila Cubatão

15. Rua das Palmeiras

Um dos principais cartões postais de Joinville, a Rua das Palmeiras está localizada no centro da cidade e se tornou uma parada obrigatória para os turistas.

Foto Divulgação/Solotudo

A rua conta com 89 palmeiras imperiais, sendo que as 56 primeiras foram plantadas em 1873, e conecta a rua principal do centro até a rua do Príncipe com o Museu da Imigração.

fonte: https://ocp.news/especiais/15-lugares-incriveis-que-fazem-os-joinvilenses-se-orgulharem-da-cidade

Museu da Imigração de Joinville não tem data para reabrir a visitação

Espanglish Traduções oferece seus serviços de Tradução Juramentada de Balanços e Balancetes em Joinville nas línguas espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana, russa, holandesa, portuguesa (PT), japonesa, coreana, entre outras.

http://www.espanglish.com.br 

(41)3308-9498 / (41)99667-9498

atendimento@espanholinglescuritiba.com.br

Um dos mais antigos de Santa Catarina, o Museu Nacional de Imigração e Colonização passa por um período de reforma que vai além dos muros do terreno localizado na Rua Rio Branco, no Centro de Joinville. O local borbulha em ideias e pesquisas de sua equipe de historiadores, que capitaneiam estadualmente o movimento de reformulação do conceito dos museus focados na imigração. Ao mesmo tempo, está fechado para visitação desde fevereiro, sem data para reabrir, à espera de recursos para a revitalização do casarão principal, construído em 1870 e transformado em museu há 61 anos.

Quando anunciou que a visita seria interrompida, há seis meses, a intenção da administração e da Prefeitura de Joinville, responsável pelo espaço via Secretaria de Cultura e Turismo, era de que isso aconteceria apenas no período necessário para preparação do casarão para uma reforma pontual, no alpendre lateral direito, e para execução desta obra.

Localizado no segundo piso, em formato de varanda coberta, o alpendre já estava envergado e sendo mantido por estacas há mais de sete anos. Foi interditado e, depois de alguns anos, o sótão foi fechado pelo mesmo motivo. A obra, orçada em R$ 47 mil, foi concluída na penúltima semana de julho, mas o local continuará fechado para visitação.

Como o acervo, avaliado em 4 mil itens, foi retirado das salas do casarão para esta primeira reforma e acondicionado em outros espaços expositivos do terreno, como a casa enxaimel e os galpões (de meios de transporte e de tecnologia), a ideia é que, por serem objetos e móveis frágeis, não passem por novas mudanças tão cedo. Antes disso, o local deve passar pela revitalização total, que inclui a drenagem de todo o terreno de 3 mil metros quadrados, a construção de um anexo de dois pavimentos, o restauro e as obras de acessibilidade da casa principal.

Das próximas etapas, a única que tem recursos financeiros garantidos é a construção do anexo, que depende da drenagem para ter início. Ele será erguido nos fundos do terreno, no local onde está o galpão usado para a exposição de meios de transporte.

– Essa edificação é um falso histórico, foi construída nos anos 2000, e, por isso, pode ser desmanchada – explica a educadora Elaine Martins.

projeto do museu nacional de imigração e colonização mostra como será o elevador que dará acesso ao segundo e ao terceiro pavimento

Imagem mostra projeto elaborado para garantir a acessibilidade aos pavimentos superiores da casa principal

Modernização faz parte da história

O anexo tem um projeto moderno, para não ser confundido com parte do patrimônio histórico, e terá as condições de uso necessárias para as atividades que o museu demanda, com climatização: servirá como espaço expositivo, acervo técnico e sala de conservação e documentação, além de sala da administração.

A construção é avaliada em R$ 1,3 milhão, verba garantida com recursos do Ministério do Turismo. O restauro da casa principal foi orçado em R$ 1,7 milhão e está em fase de captação de recursos via Lei Rouanet. Há pelo menos uma década ela enfrenta problemas de vazamentos na cobertura, que precisa ser trocada, além de reparos pontuais. O valor também inclui a obra de acessibilidade, com a instalação de um elevador externo que vai até o segundo e terceiro pavimento.

A captação é realizada por meio da Associação de Amigos do Museu Nacional de Imigração e Colonização. A drenagem, que precisa ser feita antes das outras etapas, depende de verba da prefeitura no valor de R$ 80 mil, e não tem previsão para começar.

Ainda que os turistas que chegam a Joinville não possam ir ao museu mais famoso da cidade, que recebe cerca de 30 mil visitantes por ano, a administração salienta que as atividades do museu não estão paralisadas. Entre atendimento à escolas e a pesquisadores, a oferta de aulas de português a imigrantes e eventos sediados no auditório, a principal missão da equipe é repensar o conceito do espaço museológico focado nos fenômenos de imigração e de colonização. É uma ação que começou em Joinville e deve refletir em toda Santa Catarina.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,08-08-2018.Restauro no Museu Nacional de Imigração e Colonização.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)

Acervo está guardado em outros espaços expositivos enquanto as obras não acontecemFoto: Salmo Duarte / A Notícia

Mais do que um espaço de contemplação

Um seminário já foi realizado na cidade em maio, com a formação de um grupo de trabalho liderado pela coordenadora do museu joinvilense, Renata Cittadin, e um fórum estadual ocorrerá em 2019 em Lages.

– Em Santa Catarina, quase 40% dos museus que responderam ao cadastro catarinense de museus têm, em sua denominação, o tratamento desse recorte. Quando descrevem as suas missões, esse número aumenta para quase 60% – afirma Renata

A exposição do Museu, por exemplo, era a mesma há 18 anos. A equipe prepara uma nova exposição para que, na reabertura, ela esteja antenada às novas discussões sobre o tema, e não apenas mostrando o recorte de um período e de um grupo de imigrantes – no caso de Joinville, o foco era basicamente o modo de vida da comunidade germânica que morava na Colônia Dona Francisca na época de sua fundação.

– A imigração não é um fenômeno do século 19, é um fenômeno humano contínuo. É papel dos museus refletir sobre como tratar desse tema. Acredito que vencer os desafios do esgotamento estrutural que o Museu possui é tão importante quanto vencer suas mazelas museológicas – analisa.

fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/joinville/noticia/2018/08/museu-da-imigracao-de-joinville-nao-tem-data-para-reabrir-a-visitacao-10534782.html